Notícia

Notícias Agrícolas

Instituto Agronômico de Campinas tem novo Diretor-Geral

Publicado em 29 outubro 2008

O Instituto Agronômico (IAC), da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, tem novo Diretor-Geral desde 7 de outubro. Marco António Teixeira Zullo passa a dirigir o IAC, tendo como substituta a pesquisadora Rose Mary Pio.

Desde janeiro de 2007, Zullo atua como Diretor-Geral substituto e há quatro anos é Assistente Técnico da Diretoria do IAC. Graduado em Farmácia e Bioquímica e mestre em Química, Zullo ingressou no IAC em 1975, como pesquisador científico. Na carreira, tem intensa atuação na área de química dos produtos naturais. Seu histórico profissional conta — dentre os vários resultados — com a publicação de artigos científicos em periódicos especializados do país e do exterior, capítulos de livros publicados e patentes depositadas, além da execução de inúmeros projetos de cunho científico ou tecnológico e a colaboração com cientistas do Brasil e exterior. 

Como Diretor-Geral, Zullo dará continuidade ao trabalho que vem sendo realizado no Instituto, com foco no desenvolvimento de pesquisas ligadas às demandas dos setores produtivos, especialmente nos aspectos de qualidade de produtos agrícolas, sustentabilidade dos sistemas de produção e aumento da produtividade. “A diretoria, juntamente com o corpo de diretores dos centros de pesquisas e a equipe científica, tem se dedicado ao estabelecimento de parcerias junto ao setor privado no sentido de atender às necessidades reais das cadeias produtivas de diversos segmentos”, diz Zullo. Conforme orientação do Governo paulista, o IAC deve continuar trabalhando para levar suas tecnologias a outros Estados brasileiros e até de outros países, como já vem ocorrendo, por exemplo, com culturas da cana-de-açúcar, batata e frutas.

De acordo com o novo Diretor, a interação com agências de fomento também é uma prioridade, com o objetivo de ampliar os investimentos em pesquisas e, assim, oferecer respostas tecnológicas à sociedade. “A boa taxa de aprovação de projetos junto a órgãos financiadores da ciência, como Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), demonstra a credibilidade do Instituto Agronômico e trabalhamos para a Instituição continuar evoluindo também neste sentido”, afirma o diretor.

Do IAC para a APTA

Orlando Melo de Castro deixou a Diretoria do Instituto Agronômico para assumir a APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), que coordena os seis institutos de pesquisa da Secretaria de Estadual de Agricultura, dentre eles o IAC. Castro, que também é pesquisador do IAC, esteve como Diretor da Casa desde julho de 2004. Nesses quatro anos de gestão, o Instituto alcançou resultados importantes na geração e na transferência de tecnologias, chegando a lançar, em média, 20 novas variedades por ano.

A exposição do Instituto junto aos diversos setores socioeconômico foi outro aspecto relevante da administração de Castro. “Procuramos colocar o IAC em contato com os mais diferentes agentes da economia paulista e brasileira, justamente para que todos possam saber da competência do Instituto e, principalmente, de que estamos dispostos a parcerias”, diz Castro. Por Carla Gomes

Fonte: AI – Instituto Agronômico