Notícia

Maringá News

Instituições ligadas à ciência se mobilizam em favor da vacina

Publicado em 28 janeiro 2021

Mobilizadas pela Fundação Araucária (FA), 14 instituições ligadas à ciência no Paraná, com a participação da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), aderiram à campanha de conscientização e mobilização para a vacinação contra a Covid-19 na região Sul do País. As instituições querem incentivar a população a aderir à imunização e também combater as fake news sobre o assunto.

As instituições que aderiram a iniciativa são as sete universidades estaduais – UEL (Londrina), UEM (Maringá), UEPG (Ponta Grossa), Unicentro (Centro-Oeste), Unioeste (Oeste), UENP (Norte) e Unespar (Estadual do Paraná); a Universidade Federal do Paraná (UFPR); Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS); Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila); Instituto Federal do Paraná (IFPR); Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR); Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar); Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e Fundação Araucária.

“No momento em que o Brasil inicia a imunização contra a Covid-19, a proposta é combater a pandemia com informação de qualidade. Este é o momento que a ciência trabalhou, incansavelmente, para que chegasse que é a imunização da população. Queremos incentivar as pessoas a confiarem na ciência e na eficácia e segurança da vacina”, ressaltou o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

A primeira iniciativa neste sentido partiu da Fundação de Apoio à Pesquisa de São Paulo (Fapesp). A campanha ganhou apoio do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e teve adesão das FAPs, entre elas a Fundação Araucária do Paraná.

Entre as principais ações, pesquisadores e formadores de opinião, por meio de vídeos e entrevistas, enfatizam a importância da vacinação para erradicar a epidemia de Covid-19 e conclamam todos a confiarem na ciência e nas vacinas.

O superintendente da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, comentou o problema causado pela desinformação e pela disseminação de informações falsas sobre a vacina. “Esclarecer a população sobre a importância do processo de vacinação é extremamente relevante, considerando a divulgação de informações falsas nas redes sociais e na internet. Precisamos deixar muito claro os benefícios da imunização, tanto para o individual quanto para o coletivo. Além do risco de dar atenção às informações falsas”, destacou.