Notícia

Agência Gestão CT&I

Instituições lançam Centro de Pesquisa em Bem-Estar e Comportamento Humano

Publicado em 24 junho 2016

O Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IPUSP) abrigará o Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano. O projeto, que foi lançado nesta quinta-feira (23), estará focado nas áreas de neurociências, psicologia positiva, psicologia social, neuroimagem, neuropsicofisiologia, psicometria, estudos populacionais e longitudinais.

A infraestrutura de pesquisa é uma iniciativa conjunta da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e da Natura. Formado por uma rede de pesquisadores das áreas de psicologia e neurociências da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), o Centro, é o primeiro na área de humanidades criado a partir de modelo de financiamento compartilhado entre uma empresa privada e a Fundação.

Os investimentos previstos para sua implantação e condução de suas atividades chegarão a R$ 40 milhões em dez anos, dos quais R$ 20 milhões serão divididos igualmente entre Natura e Fapesp. Outros R$ 20 milhões serão dispendidos como contrapartida pelas universidades, em forma de apoio institucional e administrativo aos pesquisadores envolvidos, incluindo salários e infraestrutura.

Para o presidente da Fapesp, José Goldemberg, o centro deverá fornecer subsídios para ajudar a entender as necessidades de bem-estar da sociedade, e a obter condições mínimas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. “Ele se dedicará ao levantamento de dados qualitativos e quantitativos, com vistas à melhoria da qualidade de vida das sociedades modernas a partir de uma Interação da universidade com o setor produtivo”, disse.

Cerca de 30 pesquisadores estarão conectados em rede para desenvolver projetos cooperativos articulando instituições de pesquisa do Brasil e do exterior. A proposta do Centro é realizar estudos multidisciplinares, a fim de gerar novos conhecimentos, conceitos, metodologias, tecnologias, ações de educação, desenvolvimento de indicadores e a estruturação de uma base sólida para avaliação e promoção do bem-estar da população brasileira.

Pesquisa de longo prazo

Inicialmente, os pesquisadores do centro se articularão em torno de 11 projetos voltados ao desenvolvimento de indicadores de bem-estar, por meio de estudos sobre o reconhecimento e a regulação de emoções, assim como a influência do contexto familiar e da sociedade nas relações humanas. Temas ligados à indústria cosmética – como a maneira com que as fragrâncias e a maquiagem podem alterar o estado de ânimo e a autoestima das pessoas – também serão estudados.

Os projetos serão desenvolvidos ao longo de uma década, mas outras linhas de pesquisa poderão integrar o centro. De acordo com Otta, trata-se de um importante investimento em uma área do conhecimento que é multidisciplinar, e pode trazer novas perspectivas para o desenvolvimento do bem-estar na sociedade.

O centro visa ainda conectar a pesquisa científica com a inovação e transferência de tecnologia, para o que conta com coordenações dedicadas à transferência dos resultados gerados pelas pesquisas e à sua incorporação em ações de educação e difusão, aumentando o impacto da ciência e da tecnologia junto à sociedade.

(Agência Gestão CT&I, com informações Fapesp)