Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP)

Instalação de sensores faz funcionar torre meteorológica maior

Publicado em 14 agosto 2007

Condições climáticas, ambientais e geográficas da região já podem ser medidas com precisão. No último sábado, a torre meteorológica no aeroporto Dario Guarita recebeu os equipamentos e sensores que faltavam para colocá-la em pleno funcionamento.

A partir de agora, Araçatuba já pode contar com os dados e informações da torre, que é equipada com sensores de medição do vento. Há dois sensores de direção e velocidade dos ventos que permitirão fazer o levantamento do potencial eólico da região, sendo um a 30 metros de altura, medindo os ventos superiores, e outro a 12 metros para os ventos de superfície - sensores de temperatura, umidade, pressão atmosférica e pluviosidade; um piranômetro - responsável por medir a radiação solar; e tetômetro - sensor de altura de nuvem de finalidade geral, para detecção de nuvens, precipitação e outras obstruções à visibilidade. No total, são cinco equipamentos e um investimento de aproximadamente R$ 70 mil que ficará no município à disposição de instituições, órgãos públicos e população.

O investimento é o resultado da parceria estabelecida entre a Cooperhidro (Cooperativa do Pólo Hidroviário de Araçatuba - Agência de Desenvolvimento Regional) e a USP (Universidade de São Paulo), com apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para fomentar o desenvolvimento sustentável e o aproveitamento energético da região Oeste do Estado de São Paulo

De acordo com o presidente da Cooperhidro, Carlos Antonio Farias de Souza, os dados coletados na torre serão descarregados no colégio Salesiano, onde há um complexo de equipamentos para processar os dados da torre, e posteriormente disponibilizados para a Cooperhidro, Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo) e USP. Inicialmente, os dados serão atualizados a cada dez minutos, mas a intenção é que em curto prazo - entre 30 e 60 dias depois dos testes - os dados sejam disponibilizados em tempo real.

Essa é única torre meteorológica na região. Até então, dados como temperatura, umidade relativa do ar, pluviosidade, entre outros, eram coletados da Área de Hidráulica e Irrigação da Unesp de Ilha Solteira.

Benefícios - Os maiores beneficiados com as informações são agricultura, aviação (aeroporto) e empresários que pretendem investir no potencial energético da região. "Para tomadas de decisões, é preciso ter tecnologia. A instalação e operação dessa torre marcam uma etapa no avanço tecnológico na região e o mais importante é que ela está sendo operacionalizada por profissionais da região", diz Souza.

Segundo o estudante de engenharia e pesquisador do PIR (Planejamento Integrado de Recursos Energéticos), Rafael Bragança de Lima, a grande diferença das informações da torre perante as informações divulgadas na região é a precisão. "A torre processará informações reais", explica. Segundo ele, o desenvolvimento passa pela ciência e tecnologia, e essa é a primeira tecnologia para formar uma estrutura regional. "Para afirmarmos que a região tem um forte potencial energético, precisamos de informações precisas", esclarece.

A instalação da torre é a parte material do projeto "Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional Visando o Desenvolvimento Sustentável", aprovado e patrocinado pela Fapesp. O estudo teve início em 2006 e conta com o envolvimento do IEE/USP (Instituto de Eletrotécnica e Energia) & Gepea/Epusp (Grupo de Energia do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da USP), Cooperhidro e parceiros regionais.

Coordenado pelo professor doutor Miguel Edgar Morales Udaeta, o projeto objetiva a elaboração e implantação de um PIR (Planejamento Integrado de Recursos Energéticos), que serve para identificar as necessidades ou expectativas estratégicas da região. As entidades parceiras são capacitadas para elaborar planos de negócios em recursos distribuídos locais, avaliar o potencial econômico desses recursos e desenvolver projetos estratégicos para o desenvolvimento regional. O prazo para a conclusão dos estudos é dezembro de 2008.