Notícia

Gazeta Mercantil

INPE testa satélite

Publicado em 15 janeiro 1996

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) vai iniciar em outubro os primeiros testes de qualificação do primeiro satélite científico brasileiro (SACI), que será lançado em setembro de 1997 acoplado ao satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS). O satélite, que teve um custo de desenvolvimento da ordem de R$ 4,5 milhões, terá como missão principal a coleta de informações sobre as bolhas de plasma que se formam na atmosfera e alteram as comunicações por satélite, além de estudar os campos magnéticos no espaço. Girando a uma órbita de 780 quilômetros, o SACI tem uma vida útil estimada em 18 meses e custo seis vezes menor que o SCD-1, o primeiro satélite de coleta de dados brasileiro lançado em fevereiro de 1993. UM SUBSTITUTO PARA A MORFINA Pesquisadores do laboratório de tecnologia farmacêutica da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) descobriram, depois de quatro anos de pesquisas, uma substância que pode substituir a morfina - produto muito consumido no País, mas de difícil distribuição nos hospitais em razão da rigidez da legislação brasileira, de acordo com o diretor de pesquisa do laboratório, professor Reinaldo Nóbrega. A substância descoberta é a "dioceina", um produto analgésico que vem sendo extraído da planta "Dioclea grandeflora", popularmente conhecida por mucuná. A dioceina foi descoberta a partir de informações colhidas na população sobre o uso da macuná, voltada para a cura de infecções renais e doenças da próstata. Segundo o pesquisador, exames feitos em laboratório mostraram que a planta possui efeito "opiadio" (bloqueia o acesso de informações ao cérebro) em ratos e camundongos. Dessa forma, explica Nóbrega, com a ingestão do produto o ser humano perde a percepção de dor. (Agência Brasil)