Notícia

Cosmo

Inpe testa propulsor para satélite

Publicado em 03 abril 2006

Cosmo On Line
O Brasil poderá entrar para o seleto rol dos países detentores de tecnologia para o desenvolvimento de propulsores bi-propelentes, destinados a integrar motores de apogeu para satélites geoestacionários.
Esta semana, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais realiza testes com o 6º protótipo do equipamento, que deve ser qualificado dentro de três anos. Segundo o tecnologista José Nivaldo Hinckel, coordenador do projeto, menos de dez países no mundo estão capacitados a produzir esse tipo de propulsor.
O projeto, que tem o apoio da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), teve início em 1998, em cooperação com a Rússia. Atualmente, conta com a participação da indústria nacional.
O desenvolvimento de um satélite geoestacionário pelo Brasil consta do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), com o objetivo de atender aos objetivos e necessidades do país nas áreas de comunicações seguras, meteorologia e controle de tráfego aéreo.

Testes
O protótipo do propulsor está sendo testado no Laboratório de Combustão e Propulsão do Inpe, no Banco de Testes com simulação de altitude. Estão sendo monitoradas a durabilidade do motor e a proteção térmica da câmara de empuxo.