Notícia

JC e-mail

Inpe terá supercomputador para pesquisas em mudanças climáticas

Publicado em 15 julho 2008

Por Carla Almeida

O anúncio foi feito pelo ministro da C&T, Sergio Rezende, nesta segunda-feira, na 60ª Reunião Anual da SBPC, em Campinas

Uma parceria entre MCT, Fapesp e Inpe vai viabilizar a compra de um dos melhores supercomputadores do mundo para pesquisas em mudanças climáticas, com capacidade de processamento 60 vezes maior do que se dispõe hoje no Brasil.

A máquina será instalada na unidade do Inpe de Cachoeira Paulista, São Paulo, e ficará aos cuidados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos e do Centro de Ciências Terrestres, recém-inaugurado e dirigido por Carlos Nobre.

No entanto, seu uso não será compartilhado apenas por pesquisadores do instituto. Ele estará disponível também para pesquisadores da Rede Brasileira de Mudanças Climáticas, que inclui diversos institutos brasileiros, e do novo programa da Fapesp sobre mudanças climáticas globais, que será lançado em agosto.

Os R$ 35 milhões investidos pelo MCT, somados aos R$ 13 milhões injetados pela Fapesp, representam o maior montante que o Inpe já teve disponível para comprar um supercomputador.

"O entendimento que a questão de tempo, clima e mudanças climáticas é estratégica para o Brasil se materializa na compra de uma infra-estrutura única no país, mas que vai ser compartilhada", comemorou Gilberto Câmara, diretor do Inpe, na Reunião Anual.

Para ele, trata-se de uma iniciativa ímpar, "que vai mudar substancialmente a capacidade brasileira de projetar o seu futuro".

Na mesma ocasião, foi anunciada a criação do novo satélite brasileiro de observação da Terra Amazônia 1, com apoio do governo britânico.

O satélite, que produzirá imagens com maior freqüência e maior definição, funcionará com câmera adicional fornecida por empresas britânicas.

"Isto mostra mais um passo da cooperação internacional, que tem sido a base sólida da construção do programa espacial. Você investe um pouco, o outro investe outra parte e todos ganhamos", afirmou Câmara.

O supercomputador para pesquisas em mudanças climáticas deve começar a funcionar em 2009 e o satélite Amazônia-1 tem lançamento previsto para 2010.

Os anúncios foram feitos ao fim da conferência do ministro Sergio Rezende, que apresentou o Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação aos participantes da Reunião. Além de Gilberto Câmara, também estavam presentes o presidente da SBPC, Marco Antonio Raupp, o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Ganem, e o vice-consul da Grã Bretanha, Damian Popolo.