Notícia

GVces - Centro de Estudos em Sustentabilidade

Inpe lança Atlas Socioeconômico-Ambiental do Nordeste

Publicado em 03 julho 2007

Por Thiago Romero, Agência FAPESP

Agência FAPESP — Disponibilizar imagens de satélites, mapas temáticos e banco de dados censitários sobre todos os estados do Nordeste.  Essa é a proposta do Atlas Socioeconômico-Ambiental do Nordeste, lançado pelo Centro Regional do Nordeste (CRN) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em Natal.  As informações são gratuitas e estão na internet.

A base de dados da plataforma, que conta com atualizações semanais, tem mais de 500 planos de informações para download.  Os dados foram elaborados com base em informações socioeconômicas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), extraídas dos censos de 1991 e 2000, além de levantamentos agropecuários feitos pelo instituto nos municípios em 2002, 2003 e 2005.

"O papel fundamental do Atlas é promover a espacialização dos indicadores por município e apresentar dados de forma gráfica, o que permite um entendimento mais rápido e dinâmico dos alunos e pesquisadores que estudam os 1.793 municípios do território nordestino", explicou Miguel Cuellar, coordenador do Grupo de Geoprocessamento do CRN e responsável pelo projeto, à Agência FAPESP.

Índice de desenvolvimento humano, demografia e indicadores de população, economia, habitação, transporte, infra-estrutura, renda, saúde e serviços são alguns planos de informações disponíveis.  O Atlas também tem itens sobre vulnerabilidade, políticas sociais, meio ambiente e educação — incluindo dados sobre acesso à educação por nível de ensino, analfabetismo, corpo docente, matrículas e estabelecimentos educacionais.

"Visualizar indicadores sobre demografia e renda por meio de mapas do Nordeste evidencia a grande diferença entre o litoral, que tem muita população com alta renda, e o interior, onde a pobreza e os baixos índices de educação chamam atenção", disse Cuellar.

Segundo ele, esse tipo de análise espacializada das informações permite a identificação mais precisa das áreas com maior necessidade de investimentos.  "O governo do Rio Grande do Norte já está trabalhando com os dados do Atlas para entender melhor o que ocorre nos municípios do estado e, dessa forma, melhorar a distribuição dos recursos."

O serviço on-line conta ainda com mapas temáticos da geologia da região.  Os downloads das imagens podem ser feitos a partir de arquivos de baixa ou alta resolução.

"Os pesquisadores podem baixar os planos de informações de um estado para uma apresentação em Powerpoint, por exemplo, ou então imprimir imagens de até um metro quadrado para um pôster, com todas as legendas e cores em alta resolução", destacou Cuellar.

As imagens de satélite do Atlas são fornecidas pelo Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS-2) e pelos satélites Landsat, da Nasa, a agência espacial norte-americana.  As Informações do Censo Agropecuário 2007 do IBGE também serão prontamente inseridas quando estiverem disponíveis.

Interatividade nordestina

Uma segunda etapa do projeto, o Atlas Interativo do Nordeste, está em fase de implantação.  Nele, o próprio usuário poderá indicar os planos de informação e cruzar os dados que irão compor os mapas.  "O usuário terá a liberdade de combinar planos de informações e construir mapas de acordo com seus interesses de pesquisa.  A previsão é que a primeira versão esteja disponível até 20 de agosto", disse Cuellar.

O trabalho de elaboração e inserção dos dados nos dois atlas, conduzido pelo Grupo de Geoprocessamento do CRN, é realizado em parceria com a Coordenação Geral de Observação da Terra do Inpe, por meio de suas Divisões de Processamento de Imagens e de Sensoriamento Remoto.

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (Fapern) financiam o projeto.

Mais informações: www.nctn.crn2.inpe.br