Notícia

Vale Paraibano

Inpe investe US$ 1 milhão na Internet 2

Publicado em 31 dezembro 1999

O Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em São José dos Campos, vai ser o primeiro órgão de pesquisas do Vale do Paraíba a ter acesso a Internet 2, que é uma evolução da aluai rede Internet. A Internet 2 inicialmente será empregada na interconexão entre universidades, centros de pesquisas via operadoras de serviços. O investimento necessário em infra-estrutura, pessoal, software, equipamentos e serviços de comunicação de dados pode chegar a US$ 1 milhão e deve entrar em operação a partir de março de 2000. A internet 2 já opera nos EUA. Europa e Japão. Ela tem como principal atrativo a utilização de aplicações multimídia, com operações em alta velocidade. Isso significa maior precisão na transmissão de imagem e som. "Quando participamos de unia vídeo conferência com o sistema atual, a qualidade da imagem é precária e há defasagem da voz, que não a acompanha", afirmou o gerente de Sistemas do Inpe, Koiti Ozaki. Atualmente o Inpe opera com a velocidade de 2 megabits e o atraso da chegada do arquivo, que muitas vezes é passada por satélite, pode chegar a até 2 segundos. Segundo Koiti, esse atraso é inadmissível na Internet 2, cujo atraso total entre a máquina servidora e o usuário deve ser no máximo de 100 milisegundos. Outro problema na Internet atual deve ser solucionado na nova rede Internet 2, com a implementação da garantia da qualidade de serviços. A Internet 2 vai ser gerenciada em São Paulo pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), por meio da sua rede Advanced Ansp (Academic Network at São Paulo) ou ANSP2. A fundação, por sua: vez, garantirá á interconexão à RNP (Rede Nacional de Pesquisas) e ao exterior. Entre as exigências para conseguir um acesso na Internet 2 está a justificativa de aplicações da rede, que deve ser voltada ao desenvolvimento de aplicativos, que comprovadamente necessitam de alta banda, como por exemplo teleeducação, telemedicina, gerenciamento e segurança. O Inpe também vai servir de centro de distribuição de acesso da Internet 2 a outras instituições, como a Univap (Universidade do Vale do Paraíba), Unitau (Universidade de Taubaté) e o ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica). A Internet 2 deverá estar acessível ao usuário comum no Brasil a partir de 2003, segundo Ozaki. Ele afirmou que vai ser preciso uma cadeia de investimentos como pesquisas de software e hardware, melhoria dos provedores e a interligação de fibra óptica em todo o país.