Notícia

Agência C&T (MCTI)

Inovação — hora de saber onde estamos

Publicado em 01 dezembro 2007

"A Unicamp convida a sua empresa para participar do Índice Brasil de Inovação ...". Centenas de empresas industriais estão recebendo, desde fins de outubro, este convite para participar da segunda pesquisa para avaliação da capacidade inovadora das empresas brasileiras. A iniciativa é do lnstituto Uniemp, cuja missão é aproximar a Universidade e a iniciativa privada, e tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo — Fapesp. A metodologia foi desenvolvida pelo Departamento de Política Científica e Tecnologia da Unicamp, que se incumbe também de sua execução.

Espera-se que os convidados correspondam a esta aproximação da Universidade, sobretudo a indústria de transformação, que reconhece a importância da inovação para seu futuro, do que dão provas inúmeras manifestações e ações da Confederação Nacional da lndústria — CNI e da Federação das Indústrias de São Paulo — Fiesp. A recém-empossada diretoria da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas — Abimaq, por sua vez, decidiu dar ao assunto a relevância que ele merece.

Estão qualificadas para participar do Índice Brasileiro de lnovação

— IBI todas as empresas que responderam ao questionário da Pesquisa Industrial lnovação Tecnológica — Pintec 2005, feita pelo 1BGE em 2005. Para efetivar a participação a empresa deve pedir ao IBGE cópia do questionário já respondido e encaminhá-la para a equipe do BI. lnformações adicionais sobre esta importante iniciativa podem ser encontradas no site www.labjor.unicamp.br/ibi/

Saber onde estamos e a quantas andamos no campo da inovação tecnológica tem importância crítica. Quem não sabe onde está não pode saber para onde ir e menos ainda com que rapidez empreender a tarefa. No caso brasileiro, faz parte desta tarefa engajar a iniciativa privada no esforço da pesquisa tecnológica, circunscrito em grande parte ao Estado.

Este perfil da pesquisa tecnológica brasileira contraria a tendência mundial, claramente dominada pela iniciativa privada. A participação no lBl é parte deste trabalho de lançar o País na trilha da modernidade. Além da satisfação de contribuir para a revisão das políticas públicas que interessam ao tema, as empresas respondentes — preservada a confidencial idade das informações — ganham um instrumento de auto-avaliação e informações que podem ser de grande importância para seu marketing e suas marcas.