Notícia

JC e-mail

Inovação fortalecida

Publicado em 28 agosto 2006

Obter uma visão do potencial de mercado das tecnologias inovadoras é o objetivo do Programa de Investigação Tecnológica (PIT), a ser lançado em 31 de agosto, em SP

Participam da iniciativa o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), a Unicamp e a USP.
Nos próximos dois anos, cada uma das instituições selecionará projetos de inovação tecnológica que estejam em andamento nos seus laboratórios. A expectativa é que 120 tecnologias sejam estudadas.
Todo o processo, que será conduzido com apoio de estudantes-bolsistas, será baseado na primeira experiência do PIT, realizada em Campinas em 2004, com 60 tecnologias.
"Esse novo programa será uma consolidação e um aprimoramento da primeira versão, com chances de ser bastante expandido", explica Roberto Lotufo, professor e diretor executivo da Inova (Agência de Inovação da Unicamp), instituição que lidera a execução do programa.
Também são objetivos do PIT, de forma geral, difundir a inovação e a importância da proteção industrial. Outro resultado esperado é fazer com que todo o processo contribua para o aumento da competência das agências de inovação envolvidas com a iniciativa.
"É uma excelente oportunidade para aprimorar os processos internos de capacitação de recursos humanos", explica Oswaldo Massambani, diretor da Agência USP de Inovação.
Segundo ele, será possível desenvolver estudos de viabilidade técnica e econômica cada vez mais precisos. "Poderemos aplicar essa experiência adquirida em todas as tecnologias e processos desenvolvidos por nossos pesquisadores."
Depois de devidamente treinados, os alunos responsáveis pelo andamento do programa começarão a investigar as tecnologias por meio de entrevistas com pesquisadores. A idéia inicial é mapear os diferenciais e as limitações de cada projeto.
As próximas fases do estudo serão formadas pela prova de conceito da tecnologia e pela análise de mercado.
No final, ainda será feita a pesquisa de viabilidade econômica das iniciativas selecionadas previamente, com dimensionamento tanto do mercado nacional como internacional.
Todos os projetos considerados com bom potencial poderão ser transferidos para a sociedade por dois caminhos: pela geração de pequenas empresas nascidas nas próprias instituições de pesquisa ou por meio de licenciamentos que serão feitos para grupos privados já constituídos.
Os locais e os horários das palestras programadas para a apresentação oficial do PIT, em 31 de agosto, simultaneamente na Unicamp, USP e no Ipen, ainda serão definidos.

Mais informações: http://www.inova.unicamp.br/pit-sp

(Agência FAPESP, 24/8)