Notícia

Esteta

Inovação é assunto central da Revista Unesp Ciência

Publicado em 03 fevereiro 2014

No Brasil, inovação já virou questão de estado. Pelo menos, no papel. Há uma década, está em vigência a lei 10.973, também conhecida como Lei da Inovação. Sua aprovação representou o ponto culminante de décadas de esforços de um pequeno grupo de obstinados, formado por acadêmicos, empresários e políticos, que lutaram para colocar o tema inovação tecnológica na agenda nacional.

Uma vez aprovada, a lei mostrou ser, também, um ponto de partida. Ao longo destes dez anos, o país tem conseguido construir um sistema de fomento e apoio à inovação. Seguiram-se a ela iniciativas como a Lei do Bem, o plano Brasil Maior, a obrigatoriedade dos núcleos de inovação nas universidades, a expansão das incubadoras e parques tecnológicos etc.

E mesmo assim, a inovação ainda vai mal no Brasil. Nos rankings mundiais, estamos atrás de países como Chipre e Colômbia. A participação da indústria brasileira na composição do PIB tem diminuído regularmente, e caiu a taxa de inovação nas empresas nestes últimos três anos. Onde é que estamos errando?

A reportagem de capa deste mês de fevereiro de Unesp Ciência traz algumas respostas, fornecidas por diversos atores e estudiosos do setor. Entre os fatores mais importantes está a própria mentalidade do empresário brasileiro, que costuma ter como enfoque prioritário o mercado interno. Ao passar longe da exportação, ele tem menos motivação em buscar diferenciais inovações em projetos e produtos que possam lhe proporcionar algum diferencial competitivo na luta por mercados.

Mas não faz sentido apontar o dedo para o empresariado. Afinal, muitos dos fatores que ainda emperram o desenvolvimento tecnológico no país estão na alçada do governo. Os exemplos são vários. O já conhecido cipoal tributário, somado à burocracia labiríntica, emperra o dia a dia do ambiente de negócios como um todo. As pequenas empresas, que muitas vezes buscam inovar sem seus processos para sobreviverem à concorrência com as grandes, não podem recorrer à Lei do Bem, por questões fiscais, o que diminui o impacto da legislação. E muitas companhias grandes e ineficientes obtêm do estado o financiamento a juros camaradas, ganhando assim uma sobrevida artificial e dificultando a vida de competidoras mais inovadoras.

Inovação/especial

Inovar para que (m) ?

Dez anos depois de aprovada a Lei de Inovação, os resultados do Brasil na área ainda engatinham. Especialistas afirmam que há recursos públicos suficientes para mudar este quadro, mas falta demanda das empresas.

Inovação/especial

A Agência Unesp de Inovação faz cinco anos

E pode comemorar um crescimento de mais de 200% nos pedidos de patentes. O desafio agora é o gargalo do licenciamento para o mercado

Inovação/especial

Da lona ao alumínio

Nova estrutura retrátil de metal, desenvolvida por pesquisadores de Sorocaba, promete facilitar transporte de carga em veículos, e pode ser usada até para estocar materiais ao ar livre

Inovação/especial

Inovação sem fronteiras

Junto com parceiros dos EUA, do Reino Unido e do Uruguai, cientistas da Unesp de Araraquara desenvolvem idéias inovadoras para sensores de poluição, testes médicos e novos fármacos antituberculose

Inovação/especial

Nano na lavoura

Uso de defensivos agrícolas pode se tornar mais eficiente e menos tóxico, graças a nova tecnologia que recorre a cápsulas minúsculas para controlar liberação das substâncias

Inovação/especial

Puro sangue

Sensor desenvolvido na Unesp de Araraquara detecta presença da hepatite C no plasma sanguíneo em apenas três minutos. Tecnologia pode reduzir o desperdício de material doado

Inovação/especial

Impacto profundo

Os Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão, criados pela Fapesp, são aposta para atacar grandes desafios científicos, estimular a cooperação, fomentar a transferência tecnológica e formar uma geração de cientistas

Seções

Carta ao leitor: Inovação no Brasil: em busca da maturidade

Dez anos após a aprovação da Lei da Inovação, o Brasil ainda patina no desenvolvimento de novas tecnologias em processos e produtos. País já melhorou em áreas como financiamento e apoio à inovação, mas demanda ainda é baixa junto ao empresariado

Perfil: Marcos Macari

Ele foi da fisiologia humana à animal, e tornou-se referência na área avícola. Sua atuação como reitor trouxe novos rumos à Unesp, e fortaleceu na universidade o interesse pela inovação

Como se faz: Uma terapia eletrizante

Novo equipamento de estimulação elétrica desenvolvido em Ilha Solteira é promessa mais versátil para recuperar,ao menos em parte, movimentos de paraplegicos

Quem diria: Tecnologia de ponta

Vem aí a nova geração de "durômetros", equipamentos destinados a medir a dureza das coisas. O novo aparelho é uma boa notícia para as empresas que fazem produtos usando madeira, em que mais solidez significa mais segurança

Arte: A escrita do batuque

O professor e percussionista Carlos Di Stasi desenvolve um novo sistema de notação musical capaz de registrar, com mais precisão, os sons do pandeiro

Livros: A teoria na prática

Livro investiga o desenvolvimento de novos produtos nas empresas brasileiras, e ensina caminhos para os profissionais que querem se especializar em gestão da inovação

Click!: O gigante em miniatura

Técnica de microscopia de piezorresposta cria um dos menores mapas do Brasil de todos os tempos

Ponto Crítico: O diálogo com a máquina

Recorrer às novas tecnologias de processamento de dados por facilitar diálogos entre diferentes disciplinas dentro da universidade

Acesse

www.unesp.br/revista

Portal Unesp