Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Inova articula rede de transferência de tecnologia

Publicado em 14 setembro 2007

Por Patrícia Mariuzzo, especial para o Jornal da Unicamp

Discutir estratégias e boas práticas para transferência de tecnologia em instituições de ciência e tecnologia, e criar um programa cooperativo entre Brasil e outros países das Américas para treinamento nesta área. Esses são alguns dos objetivos de uma reunião de trabalho que está sendo organizada pela Agência de Inovação Inova Unicamp em parceria com o Escritório Regional Latino-Americano e do Caribe da Unesco.

O encontro, que ocorre nos próximos dias 18 e 19 de setembro, no Hotel Tryp-Campinas, vai reunir representantes de instâncias de inovação tecnológica vinculados a universidades, ao governo e outros institutos de pesquisa da Argentina, do Brasil, Chile, Uruguai e dos Estados Unidos para compartilhar idéias e experiências relacionadas a práticas de inovação e comercialização de tecnologias. O encontro também será uma oportunidade para discutir a implementação de um programa internacional cooperativo de capacitação e treinamento.

A idéia de criar esta rede internacional de cooperação para capacitação foi uma evolução dos contatos da Inova Unicamp com Luis Salicrup, então colaborador do National Institutes of Health, NIH, um dos mais avançados centros de pesquisa médica do mundo. Todo trabalho relacionado à propriedade intelectual e comercialização de tecnologia do NIH está concentrado em seu escritório de tecnologia que, em 20 anos de atividade, já captou cerca de US$ 8 bilhões em royalties. O escritório criou um treinamento chamado Certificate in Technology Transfer e ainda oferece estágios na área de inovação. Em dois anos, cerca de 20 pessoas já foram treinadas.

Os contatos iniciais com o NIH estavam voltados para o estabelecimento de um programa de cooperação no Brasil. Um dos resultados foi o desenvolvimento do programa InovaNIT, esforço de cooperação organizado pela Inova Unicamp com apoio da Finep.

A parceria com a Unesco aconteceu depois da transferência de Salicrup do NIH para o Escritório Regional de Ciência para a América Latina e Caribe desta entidade, com sede em Montevidéu, Uruguai. Com isso se configurou a possibilidade de, a partir de exemplos internacionais como os dos NIH, criar um programa internacional de treinamento Sul-Sul e Norte-Sul.

"Se você olhar o mundo globalizado hoje, poderá ver que persistem desigualdades na disponibilidade das tecnologias e produtos da ciência para as populações mais pobres. Esta situação catalisa a participação de diversos atores no chamado sistema de produção de ciência e tecnologia, fazendo surgir iniciativas em vários países, no sentido de fortalecer a capacidade local para pesquisa e desenvolvimento", diz Salicrup. É o caso da Índia, China, África do Sul e Brasil.

Na opinião do representante da Unesco, são desafios que requerem treinamento multidisciplinar para gestão da propriedade intelectual de modo a proteger interesses locais.

Estarão presentes na reunião de trabalho representantes da Argentina, Uruguai, Chile e Estados Unidos; da Unicamp, da Universidade Federal de São Carlos, da USP e da Universidade Federal de Minas Gerais; das agências de fomento Fapesp e a Fapemig, e ainda dois coordenadores do Fórum Nacional de Gestores de Inovação (Fortec).

Para Roberto Lotufo, diretor executivo da Inova, a reunião de trabalho deve fortalecer a atuação do InovaNIT no Brasil e ser um ponto de partida para o estabelecimento de parcerias em nível internacional. Está prevista a elaboração de um documento com recomendações para formalização de uma rede de cooperação latino-americana para capacitação em transferência de tecnologia e inovação.

O InovaNIT foi criado por meio de um convênio com a Finep para difundir a experiência da Inova Unicamp e consolidar práticas bem-sucedidas de atuação na transferência de tecnologia, gestão de propriedade intelectual e de cooperação da universidade com organizações e empresas no processo de inovação, mediante capacitação e suporte teórico e prático de pessoal para atuação em NIT, ICT, empresas e outras entidades interessadas. Para isso o projeto desenvolve treinamentos para estruturação, institucionalização e implementação de NIT e cursos para capacitação teórica e prática de profissionais de NIT.

O primeiro destes treinamentos aconteceu em Fortaleza, entre 29 e 31 de agosto. A iniciativa de oferecer o curso no Nordeste foi do Fortec. O projeto InovaNIT foi responsável pela formatação e organização pedagógica do treinamento. O evento teve apoio da Universidade Estadual do Ceará.

Para Vladimir Spinelli Chagas, Pró-reitor de Planejamento da UECE, levar o curso de estruturação de NIT para Fortaleza foi, ao mesmo tempo, um desafio e uma satisfação. "O treinamento veio reforçar nosso esforço para disseminar a cultura de inovação, propriedade intelectual e transferência de tecnologia aliadas ao planejamento e gestão estratégicos", disse ele.

Do total de 27 alunos que acompanharam o treinamento, 81% estão vinculados a NIT da região Nordeste. "Tanto o Fortec quanto a Inova estão cientes da necessidade de ampliar a participação das instituições científicas e tecnológicas das regiões Norte e Nordeste nos temas ligados à gestão da inovação. Nesta perspectiva, buscamos estimular sua participação neste processo, capacitando e preparando os gestores de inovação das ICT da região para o exercício desta função, visando a uma maior eficiência e efetividade em suas ações", afirmou a coordenadora do Fortec, Marli Elisabeth Ritter dos Santos.

No grupo que participou do curso em Fortaleza havia representantes de NIT ainda não estruturados, recém-estruturados e outros já há alguns anos em funcionamento. "Durante os três dias houve muita interação e troca entre participantes e professores. As principais dúvidas eram relacionadas à institucionalização do NIT, políticas institucionais, práticas de gestão, redação de patentes, técnicas de negociação e elaboração de contratos", disse Patricia Magalhães, coordenadora do projeto InovaNIT.

O treinamento busca abordar, em caráter introdutório, temas relacionados aos procedimentos para a institucionalização e estruturação do NIT, planejamento e gestão de pessoas e processos, práticas para a proteção e comercialização de tecnologias.


Quem participa

Os palestrantes presentes na reunião de trabalho são:

* Luis Salicrup — Sênior Regional Adviser para Ciências Básicas, Inovação e Política Científica do Escritório Regional de Ciência para a América Latina e Caribe, da Unesco;

* Ruth Ladenheim — Representante da Agência Nacional de Promoção Científica e Tecnológica da Argentina;

* Amílcar Davyt — Presidente da Agência Nacional de Investigação e Inovação do Ministério da Educação e Cultura do Uruguai;

* Jorge Fuentes — Gerente geral do NEOS, escritório privado de transferência de tecnologia privado, Chile.

* Gonzalo Barrera-Hernandez — Diretor Assistente de Desenvolvimento de Negócios e Gestão da Propriedade Intelectual do Escritório de Transferência de Tecnologia da Universidade da Califórnia.

* Roberto Lotufo — Diretor executivo da Agência de Inovação Inova Unicamp;

* Sérgio Salles Filho — Professor do Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Unicamp (IG);

* Marli Elisabeth Ritter dos Santos — Presidente do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia;

* Luiz Otávio Pimentel — Diretor do Núcleo de Inovação da Universidade Federal de Santa Catarina e membro da Coordenação Nacional do Fortec.

Treinamento usa ferramentas do TelEduc

Uma das novidades do curso de estruturação de NIT em Fortaleza foi o uso do ambiente TelEduc, desenvolvido pelo Núcleo de Informática Aplicada à Educação, NIED e Instituto de Computação, IC, ambos da Unicamp. O ambiente virtual foi aberto 15 dias antes dos encontros presenciais, para leitura do material de apoio, realização de atividades, esclarecimento de dúvidas entre participantes e professores e troca de experiências. "Como nosso tempo juntos era curto, a disponibilização prévia dos conteúdos no TelEduc facilitou a compreensão do conteúdo dos módulos", conta Teresa Mota, consultora do Núcleo de Inovação Tecnológica da UECE.

De acordo com Patricia Magalhães, todos os NIT participantes do treinamento de Fortaleza terão apoio via ambiente TelEduc até o final de setembro. Por meio deste ambiente, os alunos poderão submeter dúvidas para professores e para a equipe InovaNIT, acessar o material do curso, trocar experiências entre si e realizar as atividades pós-curso. "Além disso, estão previstas publicações a serem elaboradas pelo InovaNIT que irão continuar provendo informações e atualizando os NIT em temas de interesse: um periódico eletrônico, provavelmente trimestral, no qual os próprios NIT poderão publicar matérias com suas experiências, dificuldades e casos de sucesso; um manual de melhores práticas, a ser publicado em parceria com Fortec e, finalmente um livro com coletâneas de artigos elaborados pelos professores que ministrarão módulos nas seis edições do curso introdutório de estruturação de NIT", explicou Patricia.


Cronograma de cursos do InovaNIT 2007

• Brasília — 22 a 26/10 — Inscrições abertas.

• Campinas — Curso básico de propriedade intelectual para gestores de tecnologia — INPI/ Unicamp, 5 a 9/11

• Manaus — 26 a 29/11

• Florianópolis, 3 a 6/12

Esta matéria é parte da edição 372, 17 a 23 de setembro, do Jornal da Unicamp, disponível em sua versão digital na segunda-feira (17) à tarde em http://www.unicamp.br/ju