Notícia

Diário da Manhã (GO)

Iniciação de jovens à ciência

Publicado em 12 dezembro 2011

O governador Marconi Perillo lançou na manhã de ontem, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa Científica de Goiás (Fapeg), o Programa de Iniciação Científica Júnior, que faz parte de parceria da Fapeg com o governo federal, por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). O intuito é incentivar crianças e jovens a se interessarem pelas pesquisas científicas. Dessa forma, eles receberão bolsas mensais no valor de R$100.

Os professores tutores destes alunos receberão, por sua vez, benefício de R$ 300 ao mês. Serão contemplados 250 mil alunos da rede estadual de ensino, da educação básica, fundamental e ensino médio. Pela parceria, a Fapeg investirá no projeto, durante cinco anos, R$ 4,5 milhões e o CNPQ, R$1,5 milhão.

Professores universitários ficarão responsáveis por escolher os professores tutores e os alunos que participarão dos projetos. Eles também devem apresentar à Fapeg os projetos de pesquisa. A partir da próxima semana, os projetos já poderão ser inscritos. A presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi, lembrou que a instituição, criada há sete anos, foi iniciativa de Marconi em seu segundo mandato à frente do Executivo. "Ouvindo o anseio da sociedade goiana, Marconi criou a Fapeg e é também o primeiro governador a visitar a fundação. Quero destacar a importância de um governo para poder dialogar conosco as políticas ligadas à área. O senhor tem dado todo olhar especial de que a Fapeg precisa", disse.

Marconi lembrou que a Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp) foi a pioneira, e completará 50 anos. "Carvalho Pinto, que foi o fundador da Fapesp, disse, ao deixar o governo de São Paulo, que se tivesse realizado como governador apenas a criação, estruturação e funcionamento da Fapesp, já teria valido a pena ter sido governador de São Paulo." Marconi citou a recente viagem que fez à China para discutir a necessidade da inovação e de valorizar o desenvolvimento científico. "Recentemente, em viagem à China, quando participei do Fórum Econômico Mundial, pude sair de lá com a certeza de que a China vai nos liderar porque tem convicções muito claras em relação à gestão moderna"