Notícia

Jornal da Unesp

Informação genética - Tumor de mama em cadelas

Publicado em 01 maio 2004

Com os recursos da Biologia Molecular, a pós-doutoranda Silvia Crusco dos Santos investiga, na Faculdade de Odontologia (FO) da UNESP, campus de Araçatuba, os diferentes genes presentes em tumores de mama de cadelas. O objetivo do trabalho é mostrar que tumores equivalentes, em nível histológico — isto é, em termos de formação ou função dos tecidos orgânicos —, podem apresentar componentes genéticos diferenciados. "Isso ajuda a explicar por que certos tratamentos para um mesmo tipo de câncer de cadela dão resultados diferentes, dependendo do animal", assinala Silvia. A médica veterinária utiliza a técnica de microarrays, na qual o ácido ribonucléico (RNA), ou seja, a molécula responsável pela transcrição e tradução da informação genética, é extraído do tecido e transformado em cDNA — um ácido desoxirribonucléico (DNA) complementar —, num processo que envolve radiação nuclear. Esse cDNA é colocado numa membrana que contém pedaços de 589 genes ligados ao câncer de mama em mulheres. "Na membrana, ocorre a ligação do cDNA com os fragmentos do gene relacionado ao câncer presente no tecido", aponta Silvia, da FO. A membrana é, em seguida, submetida a um scanner e o resultado é analisado num software que indica as modalidades e quantidade de genes do tumor. Além de recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o projeto recebe apoio da Waltham Foundation, da Inglaterra. Desse estudo também participam Maria Cecília Rui Luvizotto, Alexandre Lima de Andrade e Flavia Eugenio de Rezende, todos docentes da FO. (A. L.)