Notícia

Exame

Índio quer LUCRAR - O caso da tribo que quis receber 25 milhões de reais por seus conhecimentos de ervas medicinais paralisa uma pesquisa pioneira

Publicado em 01 setembro 2004

Por Ricardo Arnt
UMA DISPUTA ENTRE ALDEIAS Indígenas, laboratórios farmacêuticos e pesquisadores mostra o tamanho do desafio à frente de quem pretende transformar a rica biodiversidade brasileira em fonte de novos negócios. O centro da briga é a identificação de ativos químicos nas plantas medicinais usadas pelos índios craôs, do nordeste do Tocantins. Um estudo pioneiro, que começou há quatro anos, passa por um impasse contratual. De um lado estão a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e os laboratórios Ache, Biolab e Eurofarma. Do [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.