Notícia

Tribuna de Indaiá

Indaiatuba acolhe atualmente mais de 1,6 mil imigrantes

Publicado em 20 abril 2018

Werner Münchow Fachada da ONG Fraternidade sem Fronteiras em Indaiatuba: centro de acolhimento A vinda de imigrantes para o Brasil aumentou nos últimos 15 anos. Indaiatuba recebeu 1.607 estrangeiros, sendo a segunda cidade da Região Metropolitana de Campinas, perdendo apenas para Campinas (13.845). Os dados são do Atlas Temático do Observatório das Migrações em São Paulo, lançado este mês pela Unicamp e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesp).

Ao aportarem no país, esses imigrantes, geralmente refugiados de países em conflito ou na miséria, como africanos e venezuelanos, necessitam de apoio para se estabelecer e refazer suas vidas. Por isso, surgiu o grupo Fraternidade sem Fronteiras (FSF), com a proposta de promover a solidariedade universal. Com os olhos voltados às regiões mais pobres do mundo, a ONG atua na implantação de centros de acolhimento em lugares do planeta onde haja fome, miséria e desamparo. Indaiatuba conta, há um ano, com uma das sedes do projeto, no Jardim Tropical.

"A FSF está aqui há um ano, porém, já existia o grupo Amigas do Bem, voltado para pessoas em situação de vulnerabilidade de Indaiatuba e região", revela Joyce Simões Aguiar, que atua frente ao projeto na cidade. "Conhecemos o projeto no ano passado e queríamos fazer algo para fora também, já que na época só atendiam o continente africano." "Depois veio a proposta de ajudar o Brasil, com os refugiados de Roraima. A sede da FSF na nossa cidade realiza bazares de pechincha para a arrecadação de verba para ajudar nos projetos da ONG", prossegue Joyce.

O bazar completa um ano este mês, com vários itens entre roupas, sapatos, brinquedos etc., todos oriundos de doações. "Aceitamos também alimentos, porque montamos cestas básicas; todo mês são entregues cerca de 40 cestas para a população carente de Indaiatuba e cidades vizinhas." Joyce é formada em administração de empresas e já atuou com moradores de rua e até animais abandonados. Ela conta ainda com o apoio da mãe, Luzia Simões de Almeida, que ajuda na separação e organização dos itens do bazar.

"Foi uma longa trajetória até aqui e pretendo continuar fazendo mais", garante. Sobre o preconceito em relação aos refugiados estrangeiros, ela apenas diz: "Somos todos irmãos, e não ajudamos só estrangeiros - quem precisar de ajuda é só nos procurar". Saiba mais Quem quiser contribuir com a FSF de Indaiatuba pode entrar em contato pelo celular (19) 9888-1507 ou ir até a sede, no Jardim Tropical (Rua Júlio Nicolau, 473). O bazar funciona no mesmo endereço, de segunda a quinta-feira, das 13h30 às 17h. Há ainda, no Facebook, a página do grupo: https://www.facebook.com/amigasdobemindaiatuba/.