Notícia

Jornal do Comércio (AM)

Incubadora de empresas de São Bernardo supera meta e fatura mais de R$ 4 mi

Publicado em 15 janeiro 2008

"Os resultados foram surpreendentes, especialmente no quesito faturamento, pois apesar de o resultado ser acumulativo, não podemos esquecer que graduamos 12"


A Iesbec (Incubadora de Empresas de São Bernardo do Campo) superou a meta estabelecida em 2007 e registrou faturamento de R$ 4.260.435,87, superando em 130,22% a previsão de faturamento, que era de R$ 2 milhões. De janeiro a dezembro de 2007, a Iesbec de São Bernardo teve 33 empresas incubadas, sendo 12 empresas graduadas.

"Os resultados foram surpreendentes, especialmente no quesito faturamento, pois apesar de o resultado ser acumulativo, não podemos esquecer que graduamos 12 empresas e que estas já estavam em fase de consolidação no mercado", explica o gerente da Incubadora de Empresas de São Bernardo, Roberto da Costa Bortoni.

Novos postos de trabalho - A Incubadora de São Bernardo também superou outras metas, como a geração de 100 postos de trabalho, ou seja, 166% a mais do previsto, além de obter cinco patentes, uma empresa aprovada pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e duas empresas aprovadas pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

De acordo com o gerente da Iesbec, os monitoramentos financeiros e contábeis das empresas incubadas foram feitos por meio do RAER (Relatório de Acompanhamento de Empresas Residentes), preenchido mensalmente pelo próprio residente. "Com isso buscamos a graduação dentro do prazo e garantimos a permanência no mercado e na região após a graduação", acrescenta.

A Iesbec em São Bernardo tem o compromisso de oferecer toda infra-estrutura e capacitação empresarial para que as empresas que estão ingressando no mercado estejam bem preparadas e em plenas condições para competir no mercado. Para ter sua empresa incubada, os empreendedores levam seus projetos até a Incubadora, onde são instruídos para iniciar o plano de negócio. Após a apresentação do plano, a Incubadora analisa se o projeto será ou não rentável para o empreendedor. Uma vez aprovado o plano, esse empreendedor será um residente da Iesbec. Durante o período de incubação - de até três anos - esta empresa passará por um processo de desenvolvimento e preparação para o mercado e, finalmente, consegue sua graduação.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de São Bernardo, Fernando Longo, a incubadora ajuda no desenvolvimento e crescimento do micro e pequeno empresário. "Na Incubadora, os riscos são minimizados, pois todas as fases são planejadas e monitoradas por gestores especializados. Os empresários recebem apoio, tecnológico e gerencial".