Notícia

Plantão News (MT)

Incobra promove novos arranjos de financiamento à pesquisa

Publicado em 04 abril 2018

Por Agência Fapesp

O consórcio Increasing International Science, Technology and Innovation Cooperation between Brazil and the European Union (Incobra), financiado pelo programa Horizonte 2020 da União Europeia (UE), realizou, nos dias 26 e 27 de março, na Fapesp, o 2º Scoping Workshop.

O objetivo do evento foi aprofundar discussões e interações entre as agências de financiamento à pesquisa brasileiras e europeias que participaram da primeira reunião do consórcio, realizada em novembro de 2016 em Bruxelas, na Bélgica, e identificar novos parceiros.

O consórcio é formado por sete instituições brasileiras e sete europeias e visa identificar gargalos e propor soluções que facilitem a cooperação em ciência, tecnologia e inovação entre o Brasil e a União Europeia. Entre as instituições brasileiras participantes do consórcio estão a Fapesp, o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

“O encontro teve como proposta aumentar a colaboração em ciência, tecnologia e inovação entre o Brasil e a União Europeia por meio de redes de colaboração bilaterais”, disse Berna Windischbaur, gerente de projetos da Austrian Research Promotion Agengy (FFG), na abertura do evento.

A fim de criar redes de colaboração bilaterais em ciência, tecnologia e inovação, o consórcio organiza iniciativas de programas conjuntos – Joint Programming Initiatives (JPIs) – e lança chamadas de propostas de pesquisa entre as organizações parceiras interessadas nos temas selecionados.

A chamada para a iniciativa de programa conjunto sobre água, lançada em outubro de 2017, por exemplo, reuniu 12 organizações parceiras, de 12 países – incluindo o Brasil. A Fapesp participou da chamada de propostas juntamente com o Confap.

“A participação da Fapesp na iniciativa Incobra faz parte da estratégia da Fundação de desenvolver oportunidades para que pesquisadores ligados a universidades e instituições de pesquisa no Estado de São Paulo possam fazer colaborações em pesquisa com colegas do exterior”, disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp.

O consórcio lançou em fevereiro uma segunda chamada da JPI sobre água que reúne 18 países, incluindo o Brasil, com o Confap. Nove Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs), incluindo a Fapesp, participam da chamada.

“Somados, os aportes de recursos das FAPs na nova chamada fizeram com que o Brasil participe com o segundo maior orçamento entre todos os países participantes”, disse Maria Zaira Turchi, presidente do Confap, à Agência Fapesp.

“Isso é muito expressivo, principalmente no momento em que vivemos, de corte de orçamento público para ciência, tecnologia e inovação no Brasil, e reflete uma soma de esforços para internacionalização”, avaliou.

Participaram do encontro, na Fapesp, representantes de cinco JIPs do consórcio: Europa Urbana; Desafios das Mudanças Mundiais; Dieta e Vida Saudáveis; Mais Anos, Vidas Melhores; e Água e Oceano.

Durante o encontro, eles se reuniram com representantes de agências de fomento do Brasil para avaliar futuras chamadas colaborativas e questões relacionadas ao financiamento conjunto de projetos de ciência, tecnologia e inovação entre o Brasil e a União Europeia.

“As JIPs representam um mecanismo muito importante para promover a colaboração em pesquisa entre o Brasil e a União Europeia em questões que são globais”, avaliou Euclides de Mesquita Neto, membro da Coordenação Adjunta - Programas Especiais e Colaborações em Pesquisa da Fapesp.

Também participaram da abertura do evento Carlos Américo Pacheco, diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo (CTA) da Fapesp, e André Barbosa, consultor sênior da Sociedade Portuguesa de Inovação.

Agência Fapesp