Notícia

Jornal da Manhã (Cricíuma, SC)

Inaugurado o maior armazém de amendoins do mundo

Publicado em 20 maio 2004

Ao participar da inauguração do maior armazém de amendoins do mundo, na Cooperativa dos Plantadores de Cana de Guariba (Coplana), em Jaboticabal, região de Ribeirão Preto, o governador Geraldo Alckmin destacou duas questões: a importância do cooperativismo no País e a abertura de novos postos de trabalho que esta modalidade econômica oferece. Ele enalteceu o trabalho desenvolvido pelos dirigentes da Coplana, de estimular o plantio de outras culturas no período da entressafra, como o amendoim, soja, laranja e milho, o que garante o emprego permanente do agricultor, não ficando dependente do plantio e colheita de um só tipo de cultura, como no caso da cana-de-açúcar que predomina na região. "O agronegócio é o negócio de São Paulo. Ele tem sido responsável pelo superávit da balança comercial no País, ajuda no crescimento da economia, no aspecto social e aumenta a oportunidade de novos empregos", disse Alckmin, "Isso mostra a competência da nossa agricultura, que enfrenta protecionismos internacionais", acrescentou. A inauguração do armazém vai gerar mais de 400 empregos diretos. A cooperativa ocupa uma área de 240 mil metros quadrados, com o armazém instalado em 20 mil metros quadrados, o que representa 1.5 milhão de sacas de amendoim. O presidente da Coplana, Roberto Cestari, disse que nas décadas de 60 e 70 a produção de amendoim estava em baixa, fazendo com que o País importasse o produto para a fabricação de doces. "Agora, demos a volta por cima e desde 2001 já exportamos amendoim para 12 países, entre eles a Holanda. Inglaterra, Espanha e Itália". Ele observou que isso só foi possível devido aos investimentos maciços feitos pela Coplana como a mecanização no campo. Para reverter o processo de importação, a cooperativa enviou técnicos para outros países, que trouxeram novos conhecimentos em pesquisa e tecnologia. Destacou as inúmeras parcerias que a cooperativa fez. dentre elas a realizada com o Instituto Agronômico de Campinas (IAC). vinculado à Secretaria da Agricultura e Abastecimento. O governador afirmou que o Estado investe muito em pesquisa, como no IAC e na Fapesp, onde destina R$1,5 milhão todos os dias. Ele destacou que trabalhos em infra-estrutura como portuária, aeroportuária e nas rodovias, durante sua gestão, têm ajudado no desenvolvimento do Brasil. "Não podemos ser um País de rentistas onde o negócio é não trabalhar, é emprestar dinheiro para o governo e rolar títulos com juros altos. Nós temos de ser o País da produção, do chão de fábrica, da agricultura, do serviço e comércio". Encerrou dizendo sobre a necessidade de se desonerar os impostos para o setor produtivo e citou algumas ações desenvolvidas pelo Governo nesse sentido como a redução de impostos para 558 mil micro-empresas e a diminuição dos impostos para os setores calçadista, têxtil, álcool combustível.