Notícia

Dom Total

Importância do SUS no combate à pandemia para 150 milhões de pessoas

Publicado em 17 junho 2021

A pandemia do novo Coronavírus, que já matou quase meio milhão de pessoas no país, tem sobrecarregado hospitais públicos e privados. As enfermarias e UTIs trabalham com a sua capacidade máxima.

Esse cenário mostra a importância do Sistema Único de Saúde. Criado para dar assistência gratuita e universal a toda a população, o SUS atende especialmente aos 150 milhões de brasileiros e brasileiras que não têm plano de saúde privado. Isso representa 70% da população.

Graças a sua estrutura descentralizada nos estados e municípios, durante a pandemia foram criados quase uma centena de hospitais de campanha e 3 mil e 100 vagas extras em UTIs nos hospitais públicos.

Equipes de vigilância sanitária trabalham para fiscalizar o cumprimento de medidas de distanciamento social, enquanto 3,3 mil equipes do Serviço de Atendimento Médico Móvel de Emergência, o Samu, atendem e transportam doentes. O desafio atual é fazer com que a vacina chegue ao maior número de pessoas no menor tempo possível.

Construir um sistema de saúde universal e gratuito em um país com a proporção do Brasil, tanto em dimensão geográfica quanto em densidade demográfica, é uma tarefa desafiadora. Em três décadas de existência o SUS surpreendeu por propor um atendimento ilimitado e sem nenhum tipo de cobrança.

Pode surpreender, mas a União gasta menos com o financiamento do SUS do que outros países com sistemas universais semelhantes. E mesmo com pouco recurso, a existência de algum tipo de amparo é crucial para a sobrevivência de muitos.

O SUS é cria da Constituição de 1988, que definiu a saúde como “direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”. Sua organização dependeu de um conjunto de políticas públicas, baseado na atuação coordenada e solidária dos governos federal, estaduais e municipais em atenção primária e especializada, vigilância sanitária e epidemiológica e assistência farmacêutica.

Conheça mais sobre o SUS na reportagem do Planeta Azul feita em parceria com a Agência FAPESP.