Notícia

Portal Nine

Ideias #EmCasaComSesc: confira a programação de debates dessa semana

Publicado em 25 agosto 2020

SÉRIE IDEIAS #EMCASACOMSESC DISCUTE OS IMPACTOS DAS ÁREAS VERDES URBANAS NA SAÚDE PÚBLICA, AS FRONTEIRAS E INTERSECÇÕES ENTRE SAÚDE E CULTURA, AS FÁBULAS EM FOTOPINTURA E A RELAÇÃO DO FUTEBOL COM A LITERATURA

Entre os dias 25 e 29 de agosto, participam dos debates Leandro Luiz Giatti, biólogo e doutor em Saúde Pública, Marco Aurélio Bilibio Carvalho, psicólogo e diretor do Instituto Brasileiro de Ecopsicologia, os professores da USP Aurea Maria Zöllner Ianni e Ricardo Rodrigues Teixeira, a artista visual Virginia de Medeiros e o fotopintor Mestre Júlio dos Santos em conversa mediada por Éder Chiodetto, os jornalistas e apresentadores Marcelo Duarte e Helena Calil, e o poeta Sérgio Vaz

A série Ideias, transmitida ao vivo sempre às 16h pelo YouTube da instituição, convida pensadores e articuladores sociais de diversas áreas para a troca de experiências e reflexões sobre assuntos da atualidade

youtube.com/sescsp

Com o objetivo de incentivar a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), traz a transmissão ao vivo de debates sobre as principais questões que tensionam a agenda sociocultural e educativa atual. Sempre às 16h, as conferências acontecem pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, com participação do público e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na terça-feira (25/8), o tema são as “Áreas Verdes na Cidade e os Impactos na Saúde”. O debate vai abordar as relações existentes entre as áreas verdes urbanas e a promoção da saúde pública. O território como espaço de organização social em que a saúde é determinada por processos ambientais, culturais e econômicos. Participam da conversa Leandro Luiz Giatti, biólogo, doutor em Saúde Pública e membro do grupo de pesquisa Meio Ambiente e Sociedade da USP, Bárbara Junqueira dos Santos, engenheira florestal com atuação em educação ambiental e passagens por instituições da área da saúde e Marco Aurélio Bilibio Carvalho, psicólogo, mestre em Psicologia Clínica e Cultura e Diretor do Instituto Brasileiro de Ecopsicologia. Mediação e apresentação de Renata Crivoi de Castro, bióloga, especialista em educação para a sustentabilidade e agente de Educação Ambiental no Sesc Guarulhos.

No dia seguinte, quarta-feira (26/8), o debate de “Lançamento da Revista do Centro de Pesquisa e Formação Nº 10” apresenta um dossiê sobre “Saúde e cultura: fronteiras e intersecções”. Participam os professores da USP Aurea Maria Zöllner Ianni, da Faculdade de Saúde Pública, Ricardo Rodrigues Teixeira, da Faculdade de Medicina, e Emiliano de Camargo David, psicólogo e doutorando em Psicologia Social na PUC-SP. A mediação e apresentação ficará a cargo de Jair de Souza Moreira Júnior, doutor em Odontologia Social pela USP e pesquisador no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc.

Quinta-feira (27/8), o bate-papo é sobre “Fábulas do Olhar: Fotopinturas e outras aventuras”. A conversa, que terá mediação do jornalista e curador Éder Chiodetto, vai marcar o reencontro da artista visual Virginia de Medeiros com o fotopintor Mestre Júlio dos Santos. Em 2012, em Fortaleza, Virginia e Mestre Júlio estabeleceram uma parceria em uma série que retratava em preto e branco pessoas em situação de rua e que posteriormente eram pintadas. Mestre em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes-UFBA e com inúmeras exposições no Brasil e no exterior, Virginia adapta imagens documentais para usos subjetivos, pessoais e conceituais, propiciando a revisão dos modos de leitura e representação da realidade e da alteridade. Mestre Júlio, que fez sua iniciação nas artes plásticas com apenas 12 anos, em Fortaleza, já expôs seus trabalhos em mostras coletivas no Brasil, Uruguai, Bélgica e República Dominicana. O debate terá apresentação de Éder Martins, mestre em História Social pela PUC-SP e Pesquisador do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc.

Fechando a programação da semana da série Ideias #EmCasaComSesc, no sábado (29/8), o assunto é o “Encontro do Futebol e da Literatura”. O jornalista e apresentador de rádio Marcelo Duarte e o poeta e agitador cultural Sérgio Vaz falam sobre as afinidades entre o futebol e a literatura constituídas na expressão humana. Eles destacam as inúmeras obras literárias brasileiras que narram o futebol, em histórias reais e na ficção e lembram como a bola e a letra se expressam nos livros, na prática e na sociedade. Marcelo é autor da coleção “O Guia dos Curiosos” e fundador da editora Panda Books e Sérgio é o cofundador do Sarau da Cooperifa, movimento cultural que transformou um bar na periferia de São Paulo, em centro cultural e que ajudou a deflagrar a literatura periférica. A mediação será da repórter e apresentadora de TV Helena Calil, e a apresentação de Raquel Rocha, educadora de atividades físico-esportivas do Sesc Pompeia.

PROGRAMAÇÃO IDEIAS #EMCASACOMSESC

25/8, terça-feira

Áreas verdes na cidade e os impactos na saúde

A partir do entendimento do território como espaço de organização social em que a saúde é determinada por processos ambientais, culturais e econômicos, a live discute as relações existentes entre as áreas verdes urbanas e a promoção da saúde pública.

Participantes:

Leandro Luiz Giatti – biólogo e doutor em Saúde Pública. Professor Associado da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Editor Adjunto da revista Ambiente & Sociedade, membro do grupo de pesquisa Meio Ambiente e Sociedade do Instituto de Estudos Avançados – IEA/USP e do projeto Macroamb – temático FAPESP.

Bárbara Junqueira dos Santos – atua na área de restauração florestal e educação ambiental há mais de 20 anos. Graduada em Engenharia Florestal pela ESALQ/USP. Atuou em instituições na área de saúde como a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) e na Associação Santa Marcelina como gestora ambiental da Região Leste de São Paulo, com foco em processos de saúde coletiva com promoção ambiental.

Marco Aurélio Bilibio Carvalho – psicólogo clínico, mestre em Psicologia Clínica e Cultura e doutor em Desenvolvimento Sustentável, com tese sobre Ecopsicologia, pela Universidade de Brasília. Diretor do Instituto Brasileiro de Ecopsicologia e representante para o Brasil da International Ecopsychology Society.

Mediação e Apresentação:

Renata Crivoi de Castro – bióloga, especialista em educação para a sustentabilidade. Agente de Educação Ambiental no SESC Guarulhos.

26/8, quarta-feira

Lançamento da Revista do Centro de Pesquisa e Formação Nº 10

Lançamento da Revista do Centro de Pesquisa e Formação Nº 10, com apresentação do dossiê “Saúde e cultura: fronteiras e intersecções”.

Participantes:

Aurea Maria Zöllner Ianni – professora da Faculdade de Saúde Pública da USP.

Ricardo Rodrigues Teixeira – professor da Faculdade de Medicina da USP.

Emiliano de Camargo David – psicólogo, doutorando em Psicologia Social na PUC-SP.

Mediação e Apresentação:

Jair de Souza Moreira Júnior – doutor em Odontologia Social pela USP e pesquisador no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

27/8, quinta-feira

Fábulas do Olhar: Fotopinturas e outras aventuras

Em 2012, a artista Virginia de Medeiros encontrou o fotopintor Mestre Júlio dos Santos, em Fortaleza. Juntos criaram a série “Fábula do Olhar”, na qual pessoas em situação de rua foram retratadas em preto e branco (PB) pela artista e posteriormente pintadas por Mestre Júlio. Dignidade, autoestima, sonho, resiliência e arte marcaram esse encontro. Agora os dois artistas se reencontrarão num diálogo mediado pelo curador Éder Chiodetto.

Participantes:

Virginia de Medeiros – nasceu em Feira de Santana, Bahia, e vive em São Paulo. Mestre em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes-UFBA. Adapta imagens documentais para usos subjetivos, pessoais e conceituais, propiciando a revisão dos modos de leitura e representação da realidade e da alteridade. Ao longo de sua trajetória realizou inúmeras exposições entre elas: 2019 Love and Ethnology, HKW Haus der Kulturen der Welt (Berlim, Alemanha); 2019 Against, Again: Art Under Attack in Brasil, Anya and Andrew Shiva Gallery (Nova Iorque, EUA); 2019: Arte Atual: Jamais me olharás lá de onde te vejo, Instituto Tomie Ohtake (São Paulo); 2019 História Feministas, MASP (São Paulo); 2018: História da Sexualidade, MASP (São Paulo); 2017: Jogja Biennale XIV, Yogyakarta, Indonésia; 2016: La réplica Infiel, Centro de Arte 2 de Mayo (Madri); 2015: Rainbow in the dark: no joy e tormento of Faith, Malmö Konstmuseum (Malmö, Suécia); 2014: Salón de Belleza [Beauty Salon], Utopian Pulse – Flares in the Darkroom (Viena, Áustria); 2014: 31a Bienal de São Paulo: como (…) coisas que não existem. Pavilhão da Bienal (São Paulo); 2006: 27ª Bienal Internacional de São Paulo Como Viver Junto, Pavilhão da Bienal (São Paulo). Em 2015, ganhou o Prêmio PIPA voto popular e júri; foi artista premiada na 5ª Edição Prêmio Marcantonio Vilaça CNI / Sesi / Senai. Em 2020, Virginia de Medeiros é artista residente com obra comissionada para 11a Berlin Biennale for Contemporary Art.

Mestre Júlio – nasceu em Fortaleza, onde vive e trabalha. Foi na Sociedade Cearense de Artes Plásticas (SCAP), que reunia artistas como Aldemir Martins, Mario Barata e Estrigas, além de seu próprio pai, Didi, que Júlio Santos começou a trabalhar, aos 12 anos. No início da década de 1970, contribuiu para a reativação do Foto Paris, importante ateliê de fotopintura e estúdio fotográfico em Fortaleza. Já expôs seu trabalho nas mostras coletivas Europália (Bruxelas, 2011); em Santo Domingo, na República Dominicana (2012), e em Montevidéu (2012), no Centro de Fotografia. Além de ter participado de outras mostras individuais, como na Choque Cultural, por ocasião do lançamento de seu livro, resultado do edital da FUNARTE, em 2010; e na Pinacoteca do Estado em 2012, com a mostra Interior Profundo.

Mediação:

Éder Chiodetto – mestre em Comunicação pela ECA-USP, jornalista, editor, professor e curador independente. Já realizou mais de 120 exposições no Brasil e no exterior, em instituições como Maison Européenne de la Photographie, Paris; Galeria Shisheido, Tokyo; Centro Cultural Recoleta, Buenos Aires; Museu de Arte Moderna de São Paulo, Caixa Cultural (São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro), Paço Imperial (Rio de Janeiro), Palácio das Artes (Belo Horizonte), entre várias outras. Atuou por treze anos na Folha de S.Paulo como repórter fotográfico, editor e crítico de fotografia do caderno Ilustrada. É autor dos livros “O Lugar do Escritor” (Cosac Naify, 2002), “Geração 00: A Nova Fotografia Brasileira”(Edições Sesc, 2011), “Curadoria em Fotografia: da pesquisa à exposição” (Ateliê Fotô / Funarte, 2013) e “Ser Diretor: Uma viagem por 30 escolas públicas brasileiras” (Fotô Editorial, 2017), entre outros. Nos últimos anos, editou livros de diversos fotógrafos brasileiros como Thomaz Farkas, German Lorca, Cristiano Mascaro, Araquém Alcântara, Luiz Braga, Rosângela Rennó e Eustáquio Neves, entre outros. Atualmente coordena o Ateliê Fotô – centro de estudos avançados em fotografia, em São Paulo, é o publisher da Fotô Editorial e curador de fotografia do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP).

Apresentação:

Éder Martins – mestre em História Social pela PUC-SP, onde também se graduou em História, em 2005. Pesquisador na área de História do Brasil Contemporâneo, com ênfase no estudo das relações entre história, cultura e política. Pesquisador do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo.

29/8, sábado

Entrelinhas: o encontro do futebol e da literatura

As afinidades entre o futebol e a literatura constituem-se na expressão humana. Um no festivo ritual simbólico corporal de enfrentamento, outra na captação de múltiplas realidades e fantasias do mundo. Um na linguagem corporal, outra na linguagem escrita e falada. Ambos nas manifestações socioculturais. No Brasil, inúmeras obras literárias narram o futebol, em histórias reais e na ficção. Além de retratar esse fenômeno cultural, os livros constroem a ponte que une a arte e o jogo e acrescentam possibilidades de aproximação em um país que tem um frágil hábito de leitura. Nesta perspectiva, este encontro apresenta uma reflexão sobre as relações entre a literatura e o futebol e discute como a bola e a letra se expressam nos livros, na prática e na sociedade.

Participantes:

Marcelo Duarte – autor da coleção “O Guia dos Curiosos”, é também fundador da editora Panda Books. Foi escolhido nos últimos três anos como um dos 10 jornalistas mais influentes na área de mídia falada da categoria Cultura no Prêmio Comunique-se.

Sérgio Vaz – poeta e agitador cultural, autor de oito livros e com mais de 30 anos dedicados a poesia. É cofundador do Sarau da Cooperifa, movimento cultural que transformou um bar na periferia de São Paulo, em centro cultural e que ajudou a deflagrar a literatura periférica.

Mediação:

Helena Calil – repórter e apresentadora de programa esportivo com 12 anos de carreira na TV e no streaming. Formada em jornalismo na Unesp, com especialização em Comunicação Audiovisual pela Universidade da Coruña- Espanha.

Apresentação:

Raquel Rocha – educadora de atividades físico-esportivas do Sesc Pompeia.

+ SESC NA QUARENTENA

Durante o período de distanciamento social, em que as unidades do Sesc no estado de São Paulo permanecem fechadas para evitar a propagação do novo coronavírus, um conjunto de iniciativas garantem a continuidade de sua ação sociocultural nas diversas áreas em que atua. Pelos canais digitais e redes sociais, o público pode acompanhar o andamento dessas ações e ter acesso a conteúdos exclusivos de forma gratuita e irrestrita. Confira a programação e fique #EmCasaComSesc.

Mesa Brasil | Tecido Solidário | Fabricação Digital de Protetores Faciais | Teatro | Música | Dança | Cinema | Esporte | Crianças | Ideias | SescTV | Selo Sesc | Edições Sesc São Paulo | Youtube Sesc São Paulo | Instagram Sesc Ao Vivo | Portal Sesc SP

+ SESC DIGITAL

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado.