Notícia

USP - Universidade de São Paulo

ICMC recebe nova edição de evento internacional sobre grandes bases de dados

Publicado em 23 julho 2013

Por Denise Casatti

Eles ancoraram no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), na USP, em São Carlos, para aprender a arte de extrair informações valiosas a partir da navegação em grandes bases de dados. Esses navegadores do século XXI precisam ter a habilidade de mesclar conhecimentos que vêm de áreas como computação, tecnologia da informação, análise de dados, estatística, além de doses elevadas de curiosidade, capacidade de relacionamento interpessoal e tino para negócios. Uma combinação bastante difícil de encontrar.

Durante a segunda escola de aprendizado de máquina e descoberta de conhecimento em base de dados (em inglês Machine Learning and Knowledge Discovery in Databases ou simplesmente MLKDD), a ideia foi trazer especialistas do mundo inteiro - conhecidos como data scientists - para ministrarem workshops capazes de complementar a formação tradicional dos profissionais da área de ciências exatas. O evento aconteceu de 15 a 17 de julho no ICMC e foi financiado pelo Núcleo de Apoio à Pesquisa em Aprendizado de Máquina e Análise de Dados (NAP-AMDA).

"Hoje em dia, as empresas e instituições de pesquisa dispõem de muitos dados e sabem que isso tem valor. Elas precisam de um profissional capaz de analisar esses dados, incluindo o que está sendo postado nas redes sociais, e levar essas informações ao pessoal que desenvolve os produtos ou que trabalha com marketing", explicou o professor Carlos Soares, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, em Portugal.

Segundo Soares, a multidisciplinaridade é uma característica essencial na formação de um data scientist, sendo difícil até mesmo posicionar o curso no contexto universitário, já que é um profissional que se encaixa tanto no campo das ciências sociais quanto no da tecnologia. "Como se trata de uma área muito nova e dinâmica, o curso precisa manter uma forte ligação com as empresas", ressaltou o professor.

IBM Research Brasil

Com o objetivo de realizar essa aproximação entre empresa e universidade, pesquisadores do IBM Research Brasil foram convidados a analisar trabalhos submetidos ao Symposium on Knowledge Discovery, Mining and Learning (KDMiLe), que aconteceu de 17 a 19 de julho, também no ICMC, logo após o MLKDD. "Nosso objetivo é levar o aluno a avaliar sua ideia levando em conta não apenas se o trabalho resultará em publicação ou é algo novo, mas também questionando de que forma aquela ideia poderá agregar valor para o cliente", afirmou a pesquisadora Ana Paula Appel, egressa do ICMC que atua na área de mineração de dados e grafos no IBM Research Brasil.

Segundo Sandra de Amo, docente da Universidade Federal de Uberlândia e membro da comissão organizadora do evento, o KDMiLe é o primeiro simpósio da área, criado para reunir profissionais que atuam com mineração de dados, descoberta de conhecimento e aprendizado de máquina. Além de ser um fórum para a apresentação de pesquisas, o simpósio visa promover a discussão de idéias e o intercâmbio de técnicas, ferramentas e experiências relacionadas a essas áreas.

O evento foi organizado pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC), com apoio financeiro do CNPq, da FAPESP e da IBM Research Brasil.

Mais informações: (16) 3373-9666, email comunica@icmc.usp.br

Assessoria de Comunicação do ICMC