Notícia

Jornal da Tarde

Hospital vai construir um centro de pesquisa

Publicado em 23 janeiro 2008

Hospital AC. Camargo (antigo Hospital do Câncer), em São Paulo, anunciou ontem que pretende investir R$ 14 milhões na construção de um centro de pesquisa e ensino ainda neste ano, Atualmente, toda a ciência feita na instituição — que recebeu duas vezes mais alta nota de avaliação federal em oncologia—fica pulverizada em saias espalhadas pelo hospital.

O projeto prevê a construção de nove andares, com laboratórios salas especificas para os cursos de pós-graduação. O hospital também assinou uma parceria em novembro com John Mendelsohn, presidente do MD Anderson Câncer Center, dos EUA, maior hospital oncológico do mundo e referência em pesquisa.

No ano passado, o A.C. Camargo encerrou uma parceria de 23 anos com o Instituto Ludwig, uma das mais importantes instituições internacionais de estudos oncológicos. O Ludwig, que alegou precisar de mais espaço, aceitou o convite do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e se mudou para lá.

Uma série de pesquisas que já era conduzidas com o A.C. Camargo permaneceu lá. "O convênio de cooperação científica com o Ludwig continua", diz o presidente do conselho do hospital, Ricardo Renzo Brentani.

Ele afirma que, com o MD Anderson, o primeiro projeto deve ser um estudo oncogenético sobre o câncer de próstata. "Este é um hospital e, como tal, deve trazer contribuições clínicas com a pesquisa. É preciso fazer ciência que impacte a forma como o paciente é tratado".

Ironicamente, em 2003, o MD Anderson fechou uma parceria com outro hospital de São Paulo (o Albert Einstein), tendo como modelo justamente a então parceria bem-sucedida entre o A.C. Camargo e o Instituto Ludwig.


Mais oportunidade

A idéia é continuar as pesquisas nas áreas em que a instituição vê mais oportunidade. "Não adianta tentarmos entrar na pesquisa sobre câncer de mama, pois já há importantes centros científicos de todo o mundo nesse campo. Seríamos massacrados", diz Brentani. As áreas preferenciais, em princípio, serão tumores de cabeça e pescoço, pênis e intestino.

Além do investimento próprio, o hospital foi à instituição privada que mais recebeu recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) em 2006 e 2007.

Em 2008, Brentani espera —cruzando os dedos-que o quadro se repita.


Pesquisa em alta

R$14 milhões

É o valor que será investido na construção do centro de pesquisa

2 notas máximas

Foram atribuídas pela Capes ao A.C Camargo por seu curso de Especialização em Oncologia.

120 artigos

Foram publicados em 2007 pelo hospital em revistas internacionais.