Notícia

IG

Hospital deve investir R$ 14 milhões em centro de pesquisa

Publicado em 23 janeiro 2008

Camargo (antigo Hospital do Câncer), em São Paulo, anunciou ontem que pretende investir R$ 14 milhões na construção de um centro de pesquisa e ensino ainda neste ano. Atualmente, toda a ciência feita na instituição - que recebeu duas vezes a mais alta nota de avaliação federal em oncologia - fica pulverizada em salas espalhadas pelo hospital. O projeto prevê nove andares, com laboratórios e salas para os cursos de pós-graduação.

O hospital também fechou uma parceria em novembro com o MD Anderson Cancer Center, dos EUA, atualmente o maior hospital oncológico do mundo e uma referência em pesquisa. No ano passado, o A.C. Camargo encerrou uma parceria de 23 anos com o Instituto Ludwig, uma das mais importantes instituições internacionais de estudos oncológicos. Uma série de pesquisas que já era conduzida permaneceu.

Com o MD Anderson, o primeiro projeto deve ser um estudo oncogenético sobre o câncer de próstata. Ironicamente, em 2003, o MD Anderson fechou uma parceria com outro hospital de São Paulo (o Albert Einstein), tendo como modelo justamente a então parceria bem-sucedida entre o A.C. Camargo e o Instituto Ludwig.


Perfil

A idéia é continuar as pesquisas nas áreas em que a instituição vê mais oportunidade. "Não adianta tentarmos entrar na pesquisa sobre câncer de mama, pois já há importantes centros científicos de todo o mundo nesse campo. Seríamos massacrados", diz o presidente do conselho do hospital, Ricardo Brentani. As áreas preferenciais, em princípio, serão tumores de cabeça e pescoço, pênis e intestino.

Além do investimento próprio, o hospital foi a instituição privada que mais recebeu recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) em 2006 e 2007. Em 2008, Brentani espera - cruzando os dedos - que o quadro se repita. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.