Notícia

Ambientebrasil

Hospital de Clínicas de São Paulo busca voluntários cardíacos para estudo

Publicado em 04 julho 2011

Pesquisadores do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) selecionam 90 voluntários com insuficiência cardíaca, entre 45 e 75 anos, para realizar um estudo que envolve a reabilitação cardiovascular em solo e em piscina.

O estudo, cujo pesquisador principal é Mauricio Koprowski Garcia, é orientado por Eduardo Massad e coorientado por Linamara Rizzo Battistella e Paulo Yazbek Junior - todos do HC-FMUSP. Em 2008, por meio de um estudo piloto, o grupo iniciou o projeto de pesquisa "Estudo comparativo das respostas ergoespirométricas de indivíduos com insuficiência cardíaca em esteira no solo e subaquática".

A pesquisa, que tem a autorização do Comitê de Ética do HC-FMUSP, inicia agora sua terceira fase. Os objetivos são: identificar se há riscos para pacientes com insuficiência cardíaca nos exercícios em imersão e se há riscos envolvendo programas de reabilitação cardiovascular em piscinas com água aquecida (34ºC).

O estudo se propõe ainda a verificar quais resultados, comparativamente, são obtidos nos programas de reabilitação tradicionalmente utilizados em solo em relação aos propostos em piscina, qual o melhor protocolo para atividades em piscina com água termoaquecida, com foco na frequência cardíaca máxima, e quais protocolos garantem, de forma segura, resultados eficientes.

Os 90 pacientes, de ambos os sexos, deverão ter diagnóstico de insuficiência cardíaca classe funcional I - II e fração de ejeção de 30 a 40. Eles serão submetidos a dois testes de esforço cardiopulmonar, primeiro em solo e depois na piscina.

Os participantes serão selecionados em dois grupos - um para atividades de reabilitação cardiovascular em solo e outro em piscina - e realizarão duas sessões por semana durante seis meses. Após esse período outra avaliação será realizada para determinar, de maneira individualizada, a capacidade cardiorrespiratória, a equivalência entre frequência cardíaca de equilíbrio e a carga de trabalho antes e depois.

Os cientistas pretendem, com o estudo, desenvolver um protocolo específico de atividades para a reabilitação na piscina que garanta, de forma segura, resultados eficientes e uma nova possibilidade de recuperação para os pacientes. Tal conhecimento deverá contribuir para a compreensão da fisiologia da imersão e suas possibilidades em programas de reabilitação cardiovascular.

A pesquisa será realizada no Instituto de Medicina Física e Reabilitação do HC-FMUSP, na Rua Diderot, 43, Vila Mariana - SP. Mais informações: (11) 5549-0111 - ramal 266/256, com Mauricio Koprowski Garcia ou Fabíola Jomar da Silva.

(Fonte: Agência Fapesp)