Notícia

Brasil Econômico

Hospital A.C. Camargo inaugura centro de pesquisa do câncer

Publicado em 05 agosto 2010

Prédio que custou R$ 18 milhões terá infraestrutura e tecnologia comparável às das instituições de saúde internacionais

Reconhecido internacionalmente como o principal centro de tratamento, ensino e pesquisa sobre câncer da América Latina, o Hospital A. C. Camargo ganha novo fôlego para continuar seus estudos sobre a genômica dos tumores. Será inaugurado hoje o prédio do Centro Internacional de Pesquisa e Ensino (Cipe), que reunirá toda a produção científica e de ensino da instituição.

Com investimento de R$ 18 milhões do próprio hospital, o centro tem 4 mil metros quadrados e infra estrutura e tecnologia comparáveis às de instituições internacionais com os quais o hospital mantém parceria. Sua principal atração é o seqüenciador de DNA Solid da Life Technologies, utilizado para pesquisas mais personalizadas para o tratamento de câncer, capaz de realizar 500 milhões de seqüências de genes em uma semana.

Atividades inovadoras

O equipamento, no valor de US$ 500 mil, foi adquirido com verba da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), destinada a atividades inovadoras na fronteira do conhecimento. "Com esse sequenciador, aumentamos a nossa capacidade de atuação e melhoramos os nossos trabalhos", afirma a pesquisadora Dirce Maria Carraro, do Laboratório de Genômica e Biologia Molecular do Cipe. "Não basta reproduzir o conhecimento de fora ou apenas transmiti-lo, é preciso produzir e agregar valor aos tratamentos", crescenta Ricardo Brentani, presidente da Fundação Antônio Prudente, mantenedora do Hospital A. C. Camargo.

"É na pesquisa que se faz inovação, que se ganha qualidade e reconhecimento coma publicação em revistas especializadas."

Brentani lembra que o A.C. Camargo é o único centro de medicina privado com mestrado e doutorado na área médica, além de especialização. O prédio do centro de pesquisas será inaugurado pelo alemão Harald zur Hausen, que em 2008 recebeu o Prêmio Nobel de Medicina por identificar a relação do papilomavírus (HPV) com tumores como o de colo do útero, e um dos convidados da Jornada Internacional de Patologia organizada pelo hospital.

Existem centenas de tipos de tumores, sendo que cinco deles chamam a atenção por serem os mais frequentes entre os brasileiros - pele, mama, próstata, pulmão e intestino. Sabe-se que nem sempre as mutações genéticas associadas a esses tumores estão presentes nos doentes. "Com o sequenciador, será possível detectar mutações em genes de modo mais rápido, a um custo mais acessível, diz Brentani. Ele ressalta que a pesquisa reflete em benefícios diretos ao paciente. O hospital teve uma receita líquida de R$ 67 milhões em 2009, resultado do atendimento aos pacientes. As pesquisas são financiadas pelas agências de fomento.