Notícia

Agência C&T (MCTI)

Homeopatia pelo SUS é baixa

Publicado em 04 maio 2008

Apenas 110 dos mais de 5 mil municípios brasileiros, entre capitais como São Paulo, Rio e Belo Horizonte, utilizam hoje a homeopatia na rede pública, apesar de em 2006 a especialidade médica ter sido acolhida como política de saúde no Brasil.

O Ministério da Saúde, no entanto, aponta uma demanda crescente pela terapêutica desde o início da década, com aumento de mais de 20%, acima do crescimento da população, de acordo com os dados da pasta. No último ano, a especialidade respondeu por mais de 300 mil consultas do SUS, o que corresponde a 10% das consultas de atenção básica do período.

"O que precisamos é divulgar para que a homeopatia seja mais conhecida e demandada pela população", afirma Sandra Chaim Salles, coordenadora de uma série de pesquisas sobre homeopatia e aceitação da especialidade no Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP, todos financiados pela Fapesp.

"A adesão à homeopatia é crescente. Mas talvez a principal causa da baixa adesão (dos municípios) seja a formação profissional. Se não temos a obrigatoriedade que seja ensinada nas faculdades, o profissional não é sensibilizado, e quando ele busca residência, não encontra", afirma Carmem De Simoni, coordenadora da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares.