Notícia

Diga Bahia

Homens jovens e minorias étnicas têm maior tendência a episódios psicóticos, diz estudo

Publicado em 10 janeiro 2018

Um estudo realizado em seis países, incluindo o Brasil, mostrou que homens jovens, minorias étnicas e moradores de áreas com baixos indicadores socioeconômicos têm maior propensão a apresentar um primeiro episódio psicótico. Isso inclui transtornos mentais como esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar e depressão com sintomas psicóticos, a exemplo de alucinações, ideias delirantes e desorganização do pensamento. “Esse é o segundo estudo feito no Brasil sobre a incidência dos primeiros episódios psicóticos e o mais recente estudo da incidência internacional de transtornos psicóticos foi realizado na década de 1980”, afirmou o professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP), Paulo Rossi Menezes, que coordenou a pesquisa junto a Cristina Marta Del Ben, professora do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP. Segundo a Agência Fapesp, a investigação foi feita em 17 centros urbanos e rurais dos seis países participantes, entre 2010 e 2015. No Brasil, o levantamento foi feito em 26 municípios da região administrativa de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Os pesquisadores identificaram 2.774 pacientes que apresentaram um primeiro episódio de transtornos psicóticos, dos quais 1.578 eram homens e 1.196 mulheres, com idade média de 30 anos. “O estudo confirmou que a incidência do primeiro episódio psicótico varia muito entre grandes centros urbanos e regiões mais rurais e indicou que os fatores determinantes centrais para essa grande variação são, provavelmente, ambientais”, pontuou Menezes. O estudo também apontou que há maior incidência de primeiro episódio psicótico em homens de 18 a 24 anos em comparação com mulheres na mesma faixa etária, o que confirma um dado relativamente consistente na literatura, segundo o pesquisador. Os cientistas ainda constataram alta incidência de primeiro episódio psicótico em minorias étnicas e em áreas com menor porcentagem de casas ocupadas por seus proprietários. A partir de agora, o objetivo é analisar os dados sobre o histórico de vida dos pacientes, além de suas condições socioeconômicas, e compará-los com controles da população, a fim de analisar os fatores de risco para o desenvolvimento de um primeiro episódio psicótico.

Bahia Notícias