Notícia

Revide Vip online

Homens estão mais vulneráveis a transtornos mentais em Ribeirão Preto

Publicado em 10 janeiro 2018

A incidência de novos casos de episódio psicótico em Ribeirão Preto é de 21 para cada 100 mil habitantes por ano, de acordo com estudo de um consórcio internacional que reuniu pesquisadores de seis países e foi publicado pela revista científica Jama Psychyatry. Homens e jovens são os principais afetados pelos transtornos mentais. De acordo com a pesquisa, as condições socioeconômicas do paciente podem influenciar a situação.

Um primeiro episódio psicótico é definição da manifestação de transtornos mentais, como esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar e depressão com sintomas psicóticos – como alucinações, ideias delirantes e desorganização do pensamento.

Na região de Ribeirão Preto, o estudo foi realizado em 26 municípios. Neles, constatou-se que 53% dos casos de um primeiro episódio psicótico atingem homens, com idade média de 32 anos. A maioria dos problemas detectados foi referentes a psicose não-afetiva (68,9%). O restante é referente a psicose afetiva, como a depressão.

“isso pode estar relacionado ao processo de amadurecimento cerebral, uma vez que o cérebro atinge sua maturidade entre os 20 e 25 anos. Nesse período, os homens parecem ficar mais vulneráveis do que as mulheres para desenvolver transtornos mentais”, explica o professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Paulo Rossi Menezes.

No Brasil, o trabalho também contou com a participação da professora da FMRP/USP Cristina Marta Del Bem. O estudo ainda foi realizado na Inglaterra, França, Holanda, Espanha e Itália. O intuito do levantamento foi analisar os fatores de risco para o desenvolvimento de um primeiro episódio psicótico.

“Isso sugere que as condições socioeconômicas das pessoas e do ambiente onde vivem têm papel importante na etiologia dos transtornos psicóticos. É preciso compreender melhor os mecanismos envolvidos para explicar a variação da incidência desse problema entre populações”, avaliou o pesquisador.

Experiências traumáticas na infância e experimentar maconha na adolescência ou início da vida adulta, por exemplo, são fatores que aumentam o risco de transtornos mentais, segundo Menezes.

Com informações Agência Fapesp.