Notícia

FAPESC - Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina

Homenagem a Gargioni marca abertura do Fórum do CONFAP em São Paulo

Publicado em 09 março 2017

Após depoimentos de representantes de agências estaduais e federais de CTI, a cerimônia de abertura do Fórum CONFAP, em São Paulo, culminou com a entrega de uma placa de agradecimento a Sergio Gargioni, presidente do CONFAP (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa), cuja segunda gestão no Conselho termina dia 9 de março. Ele foi reconhecido pelos participantes do evento que acontece em São Paulo, entre eles seu predecessor na presidência, Mario Neto Borges, atual presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que fez um resumo das ações realizadas no âmbito nacional e lembrou missões internacionais que deram ao CONFAP a visibilidade que o Conselho tem hoje, inclusive fora do país.

Por sua vez, Marcos Cintra, presidente da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), citou “a enorme dedicação e o trabalho prolífico de Gargioni”, acrescentando: “gostaria de agradecer em nome do Brasil a seriedade com que tem desempenhado esse papel”. Algumas da imagens que marcaram os 4 anos de gestão emocionaram Gargioni, que continua até 2018 como membro do CONFAP por ser presidente da FAPESC ( Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina).

Origens do CONFAP

No discurso feito antes da homenagem, Gargioni havia destacado a figura do engenheiro e professor Francisco Romeu Landi teve papel fundamental na constituição do que é hoje o CONFAP. Ele constituiu o primeiro Fórum das FAPs e foi nomeado seu coordenador em 1998, durante a 50ª Reunião Anual da SBPC. Nele, 10 das FAPs que estavam constituídas ratificaram a Carta da Natal naquele primeiro encontro do chamado Fórum das Fundações e Entidades de Amparo à Pesquisa dos Estados e Distrito Federal.

No mesmo ano, em sua segunda reunião, o Fórum das FAPs reuniu-se em São Paulo – junto com o Fórum dos Secretários. No encontro foi aprovada a Carta de São Paulo, que teve como título “Proposta para uma Política de Inovação Tecnológica”. Em 2001, outra reunião em São Paulo serviu para aprovar o Estatuto do Fórum das FAP e para nomear Landi presidente. Ele foi reconduzido à presidência do Fórum das FAPS, em 2003, novamente na capital paulista, cargo que ocupou até falecer, em 2004. Dois anos depois, o Fórum Nacional das FAPs, que precisava de uma sigla, virou Confap, Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa, conforme se lê na sua ata de criação.

Representação internacional na abertura

Num vídeo exibido durante o fórum, o Prof. Jean-Pierre Bourguignon, do European Research Council (ERC), falou: “é muito importante para o ERC que estejamos desenvolvendo relações com outros países. Eu fiquei muito satisfeito que pudemos assinar um acordo com o CONFAP, que torna possível para pesquisadores brasileiros, ou pesquisadores atuando no Brasil, visitarem equipes do ERC. Tenho certeza que esta será a base para um intercâmbio crescente e maior colaboração entre cientistas brasileiros e cientistas que trabalham na Europa”. Assista ao vídeo:

“Jovens talentos brasileiros poderão unir forças com os europeus, ainda mais depois com o acordo com CONFAP assinado pelo Prof. Gargioni com o ERC, órgão de excelência no financiamento à pesquisa que tem estratégia de abertura ao mundo, para responder aos desafios à sociedade”, disse João Gomes Cravinho, Embaixador da União Europeia no Brasil, que também esteve presente na abertura do primeiro fórum do ano.

Após a abertura do evento, o diretor presidente da FAPESP Carlos Américo Pacheco apresentou a palestra “CTI no Mundo e a atuação da FAPESP como fomentadora da pesquisa em São Paulo”.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação do CONFAP