Notícia

Ipesi

História da ferrovia paulista vai ser digitalizada

Publicado em 06 junho 2012

Professores e alunos da Faculdade de Tecnologia (Fatec) Jundiaí trabalham na recuperação de um acervo centenário de documentos que contam a história da ferrovia no interior de São Paulo. Já foram recuperados e catalogados 19 mil itens em Jundiaí e Bauru, entre desenhos de locomotivas, relatórios e outros documentos produzidos entre 1869 e 1971. Agora, as informações coletadas começam a ser digitalizadas na segunda fase do projeto, e, em breve, estarão disponíveis na internet para pesquisa.
Coordenado por Eduardo Romero de Oliveira, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), o projeto Memória Ferroviária conta com a parceria da Fatec Jundiaí e o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Ao todo, 9 professores (8 da Fatec Jundiaí e uma da Fatec Itu, para onde o projeto se desdobrará) e 22 alunos do Centro Paula Souza, órgão estadual que administra as Fatecs, participam da iniciativa.


Nos próximos meses, três professores da área de Tecnologia da Informação da Fatec Jundiaí coordenam alunos no desenvolvimento de um software que permita construir o banco de dados dos itens reunidos ao longo de três anos.


“O acervo da memória ferroviária de São Paulo está todo disperso no Estado. Ninguém sabia o que existia porque estava tudo apenas depositado”, afirma Lívia Maria Louzada Brandão, da Fatec Jundiaí, gestora do Projeto Tecnologia e Cultura/Memória Ferroviária e coordenadora do mapeamento do acervo ferroviário do Complexo Fepasa Jundiaí. O projeto também tem braços em Bauru e Rosana, onde fica o coordenador.


A Fatec Jundiaí é o quartel general dos trabalhos. A faculdade situa-se no Complexo Cultural Fepasa, no terreno que já foi ocupado pela antiga companhia ferroviária paulista e hoje abriga também uma importante biblioteca. Somente no local foram identificados 11 mil itens.