Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Heloisa Reis vai às Olimpíadas

Publicado em 17 julho 2012

Reconhecida como a principal pesquisadora brasileira quando o assunto é a violência associada ao esporte, a professora Heloisa Reis, da Faculdade de Educação Física (FEF) da Unicamp, embarcou no último dia 13 de julho rumo a Londres. Ela foi acompanhar a disputa dos Jogos Olímpicos, que se estenderão de 27 de julho a 12 de agosto, de uma perspectiva diferente da dos torcedores. A convite da Loughborough University, a docente passará cinco semanas na cidade observando o trabalho do policiamento durante a competição. Ao final das Olimpíadas, Heloisa Reis, única estrangeira a participar do estudo, fará, junto com os colegas britânicos, uma análise do comportamento da polícia local ao longo do evento. 

Antes de viajar para Londres, Heloisa Reis falou ao Portal da Unicamp sobre a importância de participar desse tipo de pesquisa, principalmente porque o Brasil sediará brevemente os dois maiores eventos esportivos mundiais, a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. "Minha expectativa é tomar contato com uma metodologia de pesquisa sociológica sobre policiamento e crimes relacionados a megaeventos. Essa experiência de observação poderá servir também como modelo ou referência para a polícia brasileira", afirmou, acrescentando que o país ainda não está devidamente preparado para atuar nessa área. A seguir, os principais pontos da entrevista da professora da FEF.

O convite para a senhora participar como observadora das ações de policiamento nos Jogos Olímpicos partiu de que instituição?

O convite foi oficializado pela Loughborough University, por intermédio do professor Richard Giulianotti.  No entanto, vou trabalhar com outros dois responsáveis pelo projeto, os professores Richard Hobbs (Durham University) e Gary Armstrong (Brunel University).

- Quanto tempo passará em Londres?

O trabalho durará cinco semanas.

- Que tipo de trabalho vai desenvolver em parceria com os pesquisadores britânicos?

Serei membro do grupo de pesquisadores no estudo intitulado "A Sociology of Policing and Police-Community Relations at the London 2012 Olympics". Atuarei como observadora do trabalho do policiamento durante os Jogos. Posteriormente, faremos uma análise da atuação da polícia com os dados coletados por nós.

- Como tem sido a experiência dos britânicos em relação à questão de segurança em eventos esportivos?

De fato, eles têm um dos melhores modelos. Tiveram que desenvolver métodos e tecnologia de segurança nos espetáculos esportivos a partir das tragédias ocorridas no futebol britânico.

- Que experiências espera trazer para o Brasil, que vai organizar a Copa do Mundo e as Olimpíadas?

Minha expectativa é tomar contato com uma metodologia de pesquisa sociológica sobre policiamento e crimes relacionados a megaeventos. Essa experiência de observação do policiamento poderá servir como modelo ou referência para a polícia brasileira. Também espero que haja o fortalecimento dos laços de trabalho e a definição de intercâmbios entre a FEF e as universidades britânicas.

- Em sua opinião, como a questão da segurança relativa à Copa e as Olimpíadas está sendo conduzida no Brasil?

Aparentemente, mal. Não temos visto, nem mesmo no meio policial, informações sobre a realização de treinamentos ou padronização das condutas prometidas pelo Ministério da Justiça desde 2003, quando teve início a política nacional de prevenção de violência nos espetáculos esportivos. Por outro lado, sabemos de investimentos isolados de alguns estados, que estão enviando policiais militares para a Inglaterra, a fim de conhecer o policiamento em espetáculos esportivos naquele país.

- Que desafios o Brasil tem de superar para garantir que esses eventos terão um bom padrão de segurança?

Penso que são imensos. Desde dar publicidade ao que se pretende fazer ou o que está se fazendo, até promover a integração das diversas policias para este trabalho. Também é preciso promover uma aproximação com a universidade, para aprender com as boas pesquisas sobre policiamento e segurança em espetáculos esportivos.

- Sua viagem está sendo financiada por quais instituições?

Estou indo com uma bolsa de pesquisa no exterior concedida pela Fapesp [Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo] e com recursos do Faepex [Fundo de Apoio ao Ensino, à Pesquisa e à Extensão, mantido pela Unicamp].