Notícia

G1

Guia ilustrado mostra espécies de uma das poucas áreas remanescentes de Cerrado no estado de SP

Publicado em 07 setembro 2021

Por Nicolle Januzzi, Terra da Gente

Um guia ilustrado de identificação de herpetofauna, com download gratuito, lançado recentemente em meados de agosto revela a diversidade de espécies da Estação Ecológica de Santa Bárbara, no município de Águas de Santa Bárbara (SP). O território de três mil hectares se destaca por ser um dos poucos remanescentes do Cerrado no estado de São Paulo.

O material traz fotos e informações sobre a história natural de 31 espécies de anfíbios e 52 répteis encontrados em diferentes ambientes da reserva. O número é alto em relação ao tamanho do território da reserva, que é considerado pequeno para uma área de proteção.

“Esse guia foi o resultado de parte do trabalho de doutorado de alguns pesquisadores na reserva que, dentre outros objetivos, buscavam provar que a diversidade de animais no Cerrado tem uma importante associação com a vegetação que está sendo cada vez mais modificada, o que ameaça as espécies”, explica o herpetólogo Bruno Ferreto Fiorillo que escreveu o guia junto do professor Marcio Martins, da USP.

Atualmente apenas cerca de 19% da vegetação nativa do Cerrado permanece intacta e projeções de desmatamento revelam um futuro catastrófico com mais de 30% adicionais de perda dessa vegetação até 2050.

De acordo com o professor Martins, esse trabalho é fruto da dedicação de toda a equipe. “Com nossas pesquisas de campo por cerca de 5 anos na Estação Ecológica de Santa Bárbara, sempre com apoio da Fapesp, acumulamos uma grande quantidade de informações sobre a fauna de anfíbios e répteis da Estação. Assim, a preparação do guia acabou sendo um resultado natural desse esforço no campo”.

Nas páginas do guia é possível encontrar informações como nome científico, nome popular, habitat, abundância, tipo de atividade, grau de ameaça, mapas, fotos e outros detalhes de cada espécie encontrada na reserva.

“Na academia as teses que resultam de anos de pesquisa ficam muito fechadas ao meio científico, por isso tive o desejo de elaborar um material para traduzir e ilustrar de maneira mais didática para que pessoas leigas também tivessem acesso aos dados encontrados. Dessa forma, ao mesmo tempo que pesquisadores podem aproveitar o guia, qualquer pessoa que tenha interesse também consegue entender e aproveitar as informações”, conta Fiorillo.

Das espécies encontradas, oito estão ameaçadas de extinção e 21 são endêmicas do Cerrado.

“Essa é uma forma de chamar a atenção das pessoas para a grande diversidade de anfíbios e répteis que ocorrem no Cerrado, bem como para o fato de que restam apenas pequenos fragmentos desse bioma no estado de São Paulo. Até as pessoas que moram em ambientes rurais se espantam com essa grande diversidade de sapos, rãs, pererecas, lagartos e cobras que podem ser encontradas numa única área de vegetação de Cerrado. Isso faz com que passem a valorizar os fragmentos do bioma e ajudem a conservá-los”, finaliza Martins.

Turismo ecológico

Com os anos de pesquisa e a experiência com o guia ilustrado, Bruno resolveu inovar e criar também, segundo ele, a única empresa brasileira especializada na observação de répteis e anfíbios, só que em São Miguel Arcanjo (SP), na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Trápaga, onde trabalha atualmente com vários projetos.

"A observação de aves já é algo disseminado no país, mas a de répteis e anfíbios ainda não. Conheço apenas algumas empresas que fazem esse trabalho na Colômbia, Equador e na Tailândia, mas por aqui nunca vi. Por isso decidi criar esse tipo de turismo em que as pessoas vão a campo e aprendem um pouco mais sobre a história natural desses animais", diz.