Notícia

Jornal da Unesp online

Guará participa de novo laboratório paulista de tecnologia

Publicado em 27 fevereiro 2009

Iniciativa pioneira no país estuda fibras de carbono

 

A Faculdade de Engenharia (FE), câmpus de Guaratinguetá, participa do Laboratório de Estruturas Leves (LEL), que atuará com pesquisas em compósitos poliméricos, a ser instalado no Parque Tecnológico de São José dos Campos, SP. O laboratório será o primeiro do país voltado ao desenvolvimento de estruturas de fibra de carbono e resinas, além de processos com melhor desempenho e menor consumo de energia.

Para a implantação do laboratório no Parque Tecnológico de São José dos Campos,  a Secretaria de Estado de Desenvolvimento, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapesp) assinam contrato, na segunda (2), com Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer).

Os professores Maria Odila Hilário Cioffi e Edson Cocchieri Botelho, do Departamento de Materiais e Tecnologia, da FE, coordenam uma das 10 linhas da área de Compósitos, que tem por coordenador técnico o professor Sérgio Frascino Muller de Almeida, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Segundo João Fernando Gomes de Oliveira, diretor-presidente do IPT, o LEL permitirá desenvolver um amplo espectro de aplicações de materiais na indústria, podendo beneficiar diversos setores, além do aeronáutico, como naval, automobilístico, autopeças, bélico, petróleo e gás, construção civil, bens de capital, geração e transmissão de energia elétrica.

"O desenvolvimento de estruturas leves tem a ver com conservação de energia”, afirma Oliveira. A base de pesquisas do LEL será o desenvolvimento de estruturas de materiais compósitos, obtidos a partir de fibra de carbono e resinas. De acordo com Oliveira, como esses materiais aliam alto desempenho estrutural à leveza, o dispêndio de energia nos equipamentos é menor se comparado a materiais tradicionais.

O BNDES, por meio do FUNTEC - Fundo de Desenvolvimento Tecnológico, destinará R$ 27,6 milhões ao IPT e à Fapesp para viabilizar a implantação do LEL, que vai funcionar em área cedida pela prefeitura de São José dos Campos. Desse montante, R$ 19,7 milhões serão destinados ao IPT e R$ 7,9 milhões à Fapesp, para a aquisição de equipamentos que vão compor o LEL e possibilitarão a realização de pesquisas.

Os recursos do BNDES representam mais da metade do valor do projeto de implantação do Laboratório (R$ 44,2 milhões), que somados ao valor dos projetos de pesquisa totalizam R$ 90,5 milhões, com aportes de todas as instituições envolvidas.

Além da FE e do ITA, os projetos de pesquisa serão realizados em parcerias com Escola Politécnica da USP, Unicamp, Escola de Engenharia São Carlos e Embraer. A Prefeitura de São José dos Campos também colaborou ativamente para viabilizar a implantação do laboratório no Núcleo do Parque Tecnológico.

Assessoria de Comunicação e Imprensa