Notícia

Saúde Web

GSK e Fapesp anunciam centro para pesquisa de novos fármacos

Publicado em 25 junho 2014

A Fapesp e a GlaxoSmithKline Brasil (GSK) anunciaram nesta terça-feira (24) um acordo de cooperação para a criação de um Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada no Brasil. O objetivo é estimular o avanço da pesquisa básica e o potencial desenvolvimento de fármacos que possam responder a necessidades médicas não atendidas.

 

Serão aplicados recursos para o desenvolvimento de pesquisas nas áreas de doenças respiratórias, doenças metabólicas, imunologia-inflamação e antibacterianos-antivirais. A iniciativa receberá investimentos igualmente compartilhados entre Fapesp e GSK da ordem de US$ 1,5 milhão por ano, por um período de 10 anos. Localizado no estado de São Paulo, o centro vai desenvolver pesquisa de nível internacional, cuja aplicação será feita a partir do Brasil.

 

A cerimônia de assinatura do novo acordo de cooperação entre Fapesp e GSK contou com a presença de Cesar Rengifo, presidente e gerente geral da GSK no Brasil, Antonio José, diretor médico e regulatório da GSK Brasil, e Paulo Ieno, gerente de Relações Governamentais. Também estiveram presentes Celso Lafer, presidente da Fapesp, Eduardo Moacyr Krieger, vice-presidente do Conselho Superior da Fapesp, e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da fundação.

 

Durante a assinatura do acordo também foi divulgada uma chamada de propostas, dirigida a pesquisadores em universidades e instituições de pesquisa localizadas no Estado de São Paulo. Será selecionada uma proposta para o estabelecimento do Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada.

 

Os interessados terão até o dia 26 de setembro de 2014 para apresentar suas propostas de constituição do Centro. As propostas deverão incluir um programa de educação e difusão do conhecimento e de transferência de tecnologia.

 

Investimento

O Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada reforça a parceria entre a GSK e a Fapesp. Em outubro de 2013, as instituições anunciaram a criação de um Centro de Excelência em Química Sustentável, voltado para a pesquisa de novos compostos e processos para o desenvolvimento de produtos químicos sustentáveis utilizados no desenvolvimento de novos medicamentos.

 

De acordo com Cesar Rengifo, o Brasil foi escolhido pela empresa para sediar este Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada porque o país é um vasto campo de oportunidades nesta área. Buscamos diversificar e descentralizar nossas fontes de pesquisa para novas descobertas e, com isso, permitir o aumento do acesso aos medicamentos pela população, disse.

 

Segundo Rengifo, a pesquisa brasileira, embora avançada, ainda carece de mecanismos para que o conhecimento produzido seja aplicado pelo setor produtivo. Estamos convencidos de que do Brasil virão medicamentos que estarão disponíveis entre 10 e 15 anos e queremos ajudar a criar um círculo virtuoso que contribua para isso, disse.

 

Para Celso Lafer, o modelo do Centro possibilitará um planejamento de longo prazo tanto para a produção como para a aplicação do conhecimento. O Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada viabilizará o desenvolvimento de estudos conjuntos em temas de extrema importância para a saúde, seguindo o mesmo modelo do programa CEPID, da FAPESP. Isso possibilitará gerar conhecimento de forma compartilhada, por um período de 10 anos, em áreas de interesse comum entre as instituições envolvidas e com resultados potenciais para aplicação, disse.

 

Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, destacou que o acordo com a GSK tem características especiais em termos de fomento à pesquisa no Brasil.

 

A iniciativa é significativa e deve trazer impacto nas áreas envolvidas, tanto em termos de produção de conhecimento científico quanto de aplicação desse conhecimento, disse, lembrando que a experiência da FAPESP em fomentar pesquisa e da GSK em aplicar resultados devem trazer benefícios públicos.

 

A estimativa é de que o Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada comece a operar em 2015. A chamada de propostas de pesquisa e o acordo de cooperação estão disponíveis no site da Fapesp.