Notícia

Automotive Business

Grupo PSA busca inovação centrada no consumidor

Publicado em 01 maio 2018

O Grupo PSA encara o desafio de se manter firme no cenário de alta volatilidade do setor automotivo, com produtos, modelos de negócio e clientes em transformação. Para conseguir acompanhar o ritmo, a empresa parte de um princípio relativamente novo para uma companhia industrial: “Nos centramos no consumidor para inovar.

Desafios tecnológicos não faltam, mas não adianta a gente se perder nisso. Precisamos desenvolver o que gera valor para o cliente. Esse é o ponto central”, diz Carla Gohin, vice-presidente de pesquisa e inovação da companhia. Se há uma convicção tecnológica na companhia é a necessidade de avançar com o desenvolvimento de carros autônomos, conforme aponta Carla.

A empresa parece, no entanto, ter menos pressa que algumas concorrentes, que prometem fabricar automóveis sem volante ou pedais de freio e aceleração já no começo da próxima década. O Grupo PSA está lançando no mercado veículos equipados com o nível 2 da tecnologia. A partir de 2021, o plano é oferecer automóveis com nível 3 de automação. Depois, em 2024, a executiva projeta modelos de nível 4 para, enfim, chegar aos carros com automação plena, já perto de 2030. Ela estima que a procura por carros que dispensam motorista será puxada pela Europa, pelos Estados Unidos e pela China.

“No Brasil pode demorar mais”, admite. Por isso a empresa trabalha para desenvolver soluções mais adequadas ao mercado local, diz. Entre as iniciativas está o trabalho de pesquisa em biocombustíveis em parceria com a Fapesp e com a USP realizado desde 2014. Agora, a nova promessa da companhia para agradar ao consumidor local é trazer para o Brasil soluções da divisão de mobilidade Free2Move, que engloba serviços de leasing, compartilhamento de veículos e outros recursos para facilitar os deslocamentos. (Giovanna Riato)