Notícia

CNT

Grupo de pesquisadores quer preservar acervo ferroviário

Publicado em 17 março 2008

Um grupo de pesquisadores da Prefeitura de Campinas, Instituto Civitas e Fundo de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), responsável pelo estudo do conjunto ferroviário do município, finaliza um documento com dados e reflexões sobre o tema que será entregue em abril aos poderes Executivo e Legislativo e também ao Ministério Público.

O objetivo é contribuir para que o acervo formado por ramais férreos desativados, pátios e oficinas tenha uma destinação que, simultaneamente, contribua para o aperfeiçoamento do sistema de transporte da cidade e preserve a memória de um momento significativo da história campineira.

O documento terá pareceres de urbanistas renomados, como Cândido Malta, e registros do conjunto férreo remanescente, com fotos e depoimentos de pessoas ligadas ao acervo.

Entre os testemunhos coletados, estão desde falas de trabalhadores que fizeram toda a sua vida profissional nas ferrovias até moradores que ocuparam as casas construídas originalmente para receber esses trabalhadores e que ficaram abandonadas com a desativação das ferrovias.

Rosana Bernardo, arquiteta da Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente da Prefeitura de Campinas e uma das participantes do Instituto Civitas, acredita que a discussão é "extremamente oportuna, já que a cidade está buscando integrar passado e presente, colocando o acervo ferroviário a serviço de uma melhoria de qualidade de vida do município ao mesmo tempo em que tem como meta aproveitar cada vez mais intensamente as qualidades de metrópole moderna, estudando, por exemplo, como potencializar os usos e vantagens do Aeroporto Internacional de Viracopos".

As conclusões que comporão o documento que está sendo preparado pelos pesquisadores serão fruto de cinco anos de pesquisas, estudos e análises que consideraram o conjunto férreo sob diversos pontos de vista.

Cosmo On-line