Notícia

Leal Junior

Governo vê Fapt como indutora do desenvolvimento do TO

Publicado em 05 julho 2012

Criada há pouco mais de um ano, a Fapt - Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Tocantins já é uma realidade. Nove editais para projetos de pesquisa acabam de ser aprovados em meio à demanda de mais de 300 recebida pela instituição, que vão do ensino médio à área de mestrado e doutorado, o que leva o seu diretor científico, professor Renato Sarmento, ao dizer com convicção que o "desenvolvimento do Estado passa pela Fapt".

A instituição da estrutura do Governo do Estado vinculada à Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia se molda à preocupação do poder público em induzir, com toda ênfase, o implemento da pesquisa e pesquisa aplicada para o desenvolvimento e modernização do Estado, diz Renato Sarmento, alinhando para isso o interesse do lado acadêmico às necessidades prementes dos diversos segmentos da produção em avançar.

Ele relata que a preocupação e a visão projetada pelo Governador Siqueira Campos e o ex-ministro Borges da Silveira, atual secretário estadual de Ciência e Tecnologia, já refletem na mudança de uma realidade que, ao conviver com a existência de um foro de excelência, a fundação de pesquisa será capaz de se tornar multiplicadora de novas pesquisas e imprimir o conceito de inovação em produtos e marcas já concebidos.

Apoio a pesquisadores

A Fapt, como destaca o diretor científico, tem a preocupação primeira de priorizar a indução e acompanhamento de pesquisas vinculadas à  instituição do Estado do Tocantins, com exceção de apoio a convênio de bolsas de estudo de mestrado e doutorado, que a fundação acolhe de quaisquer unidades da Federação.

Mas também, frisa o professor Sarmento que todas as propostas de seleção de projetos são feitas por meio de análise documental e mérito científico, com auxílio de um comitê formado por cientistas do CNPq  - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

O montante de recursos aplicados pela Fapt em projetos com oito empresas públicas e privadas soma R$ 6 milhões 82 mil, enquanto há um total de quatro termos de intenção assinado com a Bunge, Adtur - Agência Estadual de Desenvolvimento Turístico, Naturatins - Instituto Natureza do Tocantins e Mbac Fertilizantes.

Neste breve espaço de tempo, a Fapt firmou acordo de cooperação técnica e científica com a Fapemig (MG), Fapesp (SP), Fapam (AM), entre outras.

Para este segundo semestre deve ser posto em prática parceria técnica com o CNPq, através do Programa DCR - Desenvolvimento Científico Regional, que vai oferecer bolsas de estudos para fixação de doutores no Tocantins.

A Fapt, como informa o diretor técnico Renato Sarmento, estará com um quiosque na Flit - Feira Literária Internacional do Tocantins, que se inicia nesta sexta-feira, 6, na praça dos Girassóis, em  Palmas.

No evento, a fundação estará divulgando ao público seu papel de instituição de fomento à pesquisa, suas ações, programas e projetos.