Notícia

JC e-mail

Governo do Amazonas homenageia presidente do CNPq

Publicado em 10 outubro 2006

O governador do Amazonas em exercício, Omar Aziz, a secretária de C&T, Marilene Corrêa, e o diretor-presidente da Fapeam, Odenildo Sena, entregaram placa de homenagem ao presidente do CNPq, Erney Camargo, pelas diversas e bem sucedidas parcerias na área de pesquisa

O CNPq, agência federal de apoio e fomento à pesquisa, é uma das entidades que mais transferiu recursos para o setor no Amazonas.
A cerimônia, que contou com representantes de órgãos ligados à ciência e tecnologia, foi realizada na sede do Governo do Amazonas, na sexta-feira, dia 6 de outubro. Na ocasião, a secretária Marilene Corrêa destacou o financiamento de mais de 3.500 bolsistas da Fapeam, implantação de 25 projetos de iniciação e interiorização da pesquisa, bem como a formação de 120 doutores e 317 mestres, como frutos da parceria do CNPq com o estado do Amazonas.
"Devemos lembrar, ainda, que saímos do zero em investimento em pesquisa para mais de R$ 80 milhões nesses três anos e meio após a criação da Secretaria de Ciência e Tecnologia e da Fapeam. Criamos um perfil particular de pesquisa sem perder o caráter nacional. E creditamos esse sucesso ao CNPq, que por nos apoiar, abriu parcerias com outras instituições", disse Marilene Corrêa.
Ao entregar a placa ao presidente do CNPq, Omar Aziz lembrou que o trabalho que o Amazonas desenvolve é reconhecido por toda a comunidade científica nacional, acrescentando que a Fapeam, com três anos e meio de vida, é comparada hoje à FAPESP, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, que possuiu mais de quarenta anos.
"Desde acadêmicos lutávamos pelo conhecimento científico, hoje vejo nosso sonho começar a se realizar. Acreditamos hoje que, independentemente de que estiver no governo, a Fapeam é irreversível", resumiu Aziz.
Muito emocionado, o presidente do CNPq, Erney Plessman Camargo, agradeceu a homenagem, e, sobretudo, a vontade do Governo do Amazonas e da secretária Marilene Corrêa em investir, para o próximo ano, cerca de R$ 53 milhões em pesquisa.
"O Amazonas nunca havia investido em pesquisa, e hoje pratica uma taxa de investimentos inédita no país. Aprendemos com vocês uma nova realidade de gestão amazônida de pesquisa e essa parceria só deu certo por conta da atuação do Governo do Amazonas e da secretária Marilene e seus auxiliares", afirmou.
(Assessoria de comunicação da Fapeam)