Notícia

O Imparcial (Presidente Prudente, SP)

Governo adota ações para o novo pólo aeroespacial

Publicado em 21 junho 2000

O governo do Estado já está adotando as ações necessárias à construção da nova unidade da Embraer, que será instalada entre os municípios de Gavião Peixoto e acidade de Araraquara. Ontem pela manhã, o secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, José Aníbal e o prefeito do município de Gavião Peixoto, Alexandre Bastos, reuniram-se por quase duas horas, na sede da secretaria, para definir as ações que serão tomadas até o dia 30 deste mês para a criação do novo pólo aeroespacial na região. A localização da nova unidade da Embraer, denominada Site Aeroespacial, está sendo considerada uma vitória do governador Mário Covas, que depois de perder alguns grandes investimentos para outros Estados, conseguiu que a Embraer ficasse em solo paulista. O secretário José Aníbal garantiu que a grandeza do empreendimento é muito maior do que se imagina. "Teremos a primeira pista de ensaios de vôos do Hemisfério Sul", disse. E reiterou: "É um projeto da maior relevância para São Paulo e para o Brasil, pois reflete o casamento perfeito entre o setor produtivo e a alta tecnologia, propiciando o desenvolvimento de um pólo aeroespacial." A comemoração com a instalação do Site Aeroespacial da Embraer, no município de Gavião Peixoto, só não estava completa, até ontem, porque um dos maiores citricultores da região não queria fazer acordo para a entrega de suas terras. Dos 600 alqueires disponíveis para o projeto, cerca de 200 são de propriedade do Grupo Cutrale. "O acordo com os outros citricultores foi tranqüilo e a desapropriação será feita nos próximos dias, com as terras da Cutrale, entretanto, não tivemos acordo até o momento", garante um técnico que acompanha essas negociações. Apesar da resistência do Grupo Cutrale, que parece não preocupar o secretário José Aníbal, o governo do Estado já iniciou os trâmites necessários à instalação da nova unidade da Embraer. Entre as ações já em andamento, estão as desapropriações de terras na região, os convênios com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que destinará cerca de R$ 10 milhões anuais para pesquisadores e consórcios que elaborem projetos voltados para o novo pólo e a destinação de recursos do governo para a criação do distrito aeroespacial. Como a lei eleitoral proíbe a destinação de recursos dos governos para seus municípios após o dia 30 de junho deste ano, o anúncio oficial do novo empreendimento deverá ser feito antes dessa data Até o dia 30, portanto, o governo de São Paulo já terá destinado os recursos suficientes para a criação do novo distrito. José Aníbal disse que o montante desses recursos ainda está sendo definido. Porém, garantiu que ele é muito baixo em relação aos ganhos que o Site Aeroespacial trará para a região, para o Estado de São Paulo e para o Brasil. A expectativa é que em outubro do ano que vem a Embraer já esteja construindo os seus novos jatos na nova unidade. A empresa está ampliando sua capacidade e, entre os novos projetos está o desenvolvimento de uma nova família de jatos de médio e de grande porte, além de aviões para a área militar. A nova unidade terá também a primeira pista de ensaios de vôo do Hemisfério Sul, com cerca de cinco quilômetros de extensão. Ma primeira etapa, o empreendimento deverá gerar cerca de três mil empregos diretos. (AE)