Notícia

Instituto Ethos

Geotecnologia

Publicado em 23 setembro 2011

Uma ferramenta de geotecnologia desenvolvida no Laboratório de Geoprocessamento da Engenharia de Transportes da Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP) chega para facilitar e acelerar a tomada de decisão para licenciar novos empreendimentos ou operações na Baixada Santista. A região deve receber nos próximos anos uma série de investimentos por conta do início da exploração da bacia do pré-sal e da duplicação da capacidade do Porto de Santos. O aplicativo, denominado Atlas ambiental e socioeconômico da Baixada Santista, começou a ser construído em 2006, com apoio da FAPESP, por meio do Programa de Pesquisa em Políticas Públicas.

Fonte: Envolverde