Notícia

Correio da Paraíba

Genoma humano tem até 12% de variação

Publicado em 25 março 2007

São Paulo (Fapesp) - A idéia de que ó genoma de duas pessoas quaisquer é igual em 99,9% de sua composição acaba de ser oficialmente aposentada. Do ponto vista da genética, não somos tão idênticos quanto pensavamos. Cientistas confrontaram o código genético de centenas de indivíduos e descobriram diferenças significativas em ate 12% dos 3 bilhões de pares de base (as famosas "letra químicas") que compõem o genoma humano. Algumas pessoas têm copias a mais ou a menos de certos genes e exibem grandes trechos de DNA repetidos ou apagados em seu genoma. A noção de que haveria um genoma humano padrão, que seria representativo de toda a espécie, não se sustenta mais.
Essa e a principal conclusão que se pode tirar de uma serie de estudos publicados nesta semana nas revistas Nature, Nature Genetics e Genome Research.
Um grupo formado por pesquisadores de cinco paises apresentou um novo mapa do genoma humano destacando essas grandes diferenças que podem existir no material genético das pessoas. A equipe internacional analisou o genoma de 270 pessoas de origem européia, africana ou asiática e conseguir mapear cerca de 1500 variações no numero de copias de grandes seqüências de DNA conhecidas pela sigla CNV (do inglês copy-number variations).
"Cada um de nos tem um padrão único de perdas e ganhos de trechos inteiros de DNA",diz Dr. Matthew Hurles, do Sanger Institute, da Inglaterra, um dos pesquisadores envolvidos nos estudos.
Os pesquisadores acreditam que essas grandes divergências resultam em diferentes níveis de expressão de certas proteínas, o que pode, no final das contas, explicar a heterogeneidade da espécie humana, estar por trás de características próprias a populações de diferentes etnias e ser a origem de muitas doenças.