Notícia

Jornal da Manhã (Marília, SP) online

Geneticista de Marília entra para ranking internacional de cientistas

Publicado em 04 outubro 2021

Por Por Ana Carolina Godoy

Clasificação se deve às pesquisas com doença de Alzheimer, genética humana e médica, terapia celular e doenças gástricas

O geneticista Spencer Payão, de Marília, passa a integrar o ranking dos cientistas mais influentes da América Latina. O pesquisador e professor da Faculdade de Medicina de Marília colocou a cidade e a instituição na classificação científica internacional Alper-Doger Scientific Index. O feito inédito é reverenciado pela Famema.

O professor doutor aparece na posição 7.526 do ranking, estando entre os dez mil cientistas mais influentes da América Latina. Ele é o único pesquisador da Famema na relação que agrega os valores das pesquisas nos últimos cinco anos.

Sendo chefe da disciplina de Genética da Famema, a Faculdade de Marília, com seu laboratório de biologia molecular, passa a constar entre as 453 instituições do continente que integram o ranking.

O Brasil lidera o ranking com mais de 7.600 pesquisadores na relação divulgada pelo sistema AD (Alper-Doger) Scientific Index 2021. A classificação se baseia no desempenho científico e no valor agregado da produtividade científica de pesquisadores.

O índice leva em conta doze áreas: agricultura e silvicultura, artes, design e arquitetura, negócios e gestão, economia e econometria, educação, engenharia e tecnologia, história, filosofia, teologia, direito, estudos jurídicos, medicina e ciências da saúde, ciências naturais e ciências sociais.

Spencer Luiz Marques Payão mencionou que o resultado se deve a décadas de pesquisas com doença de Alzheimer, genética humana e médica, terapia celular e doenças gástricas.

O pesquisar compartilhou o mérito da sua classificação. “Fico muito honrado, mas ninguém faz nada sozinho. Quero dividir essa honraria com os meus 22 mestres, 12 doutores e dois pós-doutores que orientei e ajudei a formar durante a minha carreira”.

O geneticista de Marília agradeceu à Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) pelo financiamento de 14 Auxílios à Pesquisa sob sua coordenação. O que permitiu que o profissional atingisse 94 publicações em periódicos de reconhecimento internacional.

“Esse financiamento também permitiu um salto tecnológico na Famema. Agradeço aos colaboradores da Faculdade de Medicina de Marília, da Unifesp/EPM e do Banco de Cérebro do Canadá (The Douglas Hospital – Bell Canada Brain Bank). Além da minha família pelo apoio incondicional”.