Notícia

IG

Genética do ritmo cardíaco

Publicado em 30 abril 2006

Agência FAPESP
Em vez de um estudo focado em apenas um gene, pesquisadores do Hospital John Hopkins, do Framingham Heart Study, e da Rede Nacional de Estudos do Genoma da Alemanha decidiram olhar para todos os 3 bilhões de letras do genoma humano. Essas abordagem, pelo menos para o caso das doenças cardíacas, parece ter dado bons resultados.
Para surpresa dos pesquisadores, um gene que está envolvido com a predisposição encontrada em algumas pessoas de ter um ritmo cardíaco anormal acabou sendo identificado. Essa alteração nos batimentos, por exemplo, é um das causas para a chamada morte súbita, que apenas nos Estados Unidos afeta 300 mil pessoas por ano.