Notícia

Jornal do Commercio (RJ)

Genes e toxinas estão na origem do Parkinson

Publicado em 21 fevereiro 2005

Os pesquisadores já sabem que uma disfunção do gene DJ1 em humanos contribui para o aparecimento do mal de Parkinson, que afeta a coordenação motora dos pacientes. Mas eles também descobriram que algumas toxinas, quando presentes no organismo, causam o mesmo problema. E essas substâncias são encontradas em maiores quantidades apenas quando existe o problema genético.
Estudos realizados com peixes-zebras na Universidade de Sheffield (Inglaterra) mostraram que altas doses de toxina causam o problema na coodenação motora. O que os pesquisadores ainda não identificaram é quanto da substância é necessária para causar a mesma disfunção em seres humanos.
Uma das certezas é que devem ser doses bem menores. Além de descobrir a quantidade de toxina necessária para provocar o Parkinson, os pesquisadores ingleses trabalham para encaixar as peças do quebra-cabeça.
Segundo o pesquisador Oliver Bandmann, não é apenas a disfunção no gene DJ1 que causa a doença. "Isso deixa a pessoa mais suscetível somente quando ela entra em contato com a toxina", explica.
Pelos estudos realizados, o grupo da Universidade de Sheffield foi o único do Reino Unido a receber verbas da Fundação Michael J. Fox, criada pelo ator que sofre com a doença. A instituição anunciou que dará US$ 3,6 milhões aos cientistas britânicos. (Agência FAPESP)