Notícia

Forbes Brasil online

Gastos globais com TI devem aumentar para US$ 3,92 trilhões

Publicado em 10 março 2021

A crise da Covid-19 obrigou as empresas e organizações em todo o mundo a acelerarem a digitalização de seus negócios, à medida que o trabalho remoto e o ensino à distância se tornaram essenciais para o isolamento social. Segundo uma pesquisa global da McKinsey com executivos, a digitalização das interações com os clientes e da cadeia de suprimentos foi acelerada em três ou quatro anos, enquanto a participação de produtos digitais ou habilitados para o digital em seus portfólios foi antecipada em sete anos. Com o aumento no uso de soluções e serviços digitais, os gastos globais com TI devem atingir US$ 3,92 trilhões em 2021, um aumento de US$ 228 bilhões em um ano, de acordo com a Stock Apps.

Para sobreviver em um mundo pós-pandemia, que envolve maior adoção do trabalho remoto e pontos de contato digitais, as empresas terão que continuar acelerando seus planos de transformação digital. Para o Gartner Group, os gastos globais com TI continuarão aumentando e atingirão mais de US$ 4,1 trilhões em 2022. O aumento da demanda por tablets e laptops devido ao trabalho remoto e ensino à distância deve impulsionar um crescimento impressionante no segmento de dispositivos. As estatísticas mostram que os gastos globais com PCs, tablets, telefones celulares e impressoras devem saltar 8%, para US$ 705,4 bilhões em 2021. Os sistemas de data center devem testemunhar um crescimento de 6% em 2021 e atingir US$ 228 bilhões em gastos globais.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

***

TENDÊNCIAS LATINO-AMERICANAS

IA pode ser o motor de transformação na AL, mas sua adoção está apenas no começo

A everis, consultoria de negócios do grupo NTT DATA, e a Endeavor, rede formada pelos empreendedores de scale-ups, acabaram de divulgar o relatório “O Impacto da Inteligência Artificial no Empreendedorismo da América Latina”. A decisão de realizar o estudo baseou-se no fato de o recurso ser, atualmente, o motor da transformação tecnológica que concentrará grande parte da produtividade econômica e, com isso, do crescimento dos países. De acordo com a pesquisa, o uso de IA é mais forte no setor de enterprise software & services (39% da amostra), seguido por commerce & retail (12%), healthcare (7%), financial services (7%) e marketing (7%). Outros segmentos, como educação, agricultura, infraestrutura, entretenimento, transporte e logística, também viram inovações significativas com a implementação da tecnologia ??em vários aspectos.

O uso da IA cresceu de 32%, em 2018, para 48%, em 2020, de acordo com o Índice de Nível de Inovação e Crescimento IA (INICIA), metodologia que avalia critérios como ano de fundação, grau de maturidade das empresas, volumes de vendas, empregos gerados e investimentos recebidos. No Brasil, onde está o maior número de empresas de IA da América Latina (42% do total), o número de empresas especializadas na tecnologia saltou de 120, em 2018, para 206, em 2020. “Essa tendência de ampliação do uso de IA no novo cenário global torna a tecnologia vital para o desenvolvimento de empresas e países, uma vez que viabiliza a automação e a gestão eficiente das operações e do atendimento omnichannel dos clientes, resultando em benefícios econômicos e sociais indiscutíveis”, afirma Evandro Armelin, diretor de data & analytics da everis Américas.

A expansão do mercado de IA foi constatada também pelo volume de vendas dos empreendedores latino-americanos – que a Endeavor Intelligence calcula em torno de US$ 4,2 bilhões -, e do montante de investimentos que receberam, cerca de US$ 2,2 bilhões, bem como pela geração de 38 mil empregos. Apesar do crescimento robusto, o desenvolvimento de IA ainda está em fase inicial na região. Os principais indicadores da falta de maturidade são o fato de 55% dos empreendedores terem fundado suas empresas entre 2014 e 2017, ou seja, estarem há poucos anos no mercado, bem como o investimento médio recebido ainda ser baixo, por volta de US$ 528 mil.

Dobram os ataques às indústrias que fazem esforços contra a Covid-19

A IBM Security, especializada em produtos e serviços de segurança corporativa, divulgou recentemente o relatório “Índice de Inteligência de Ameaças X-Force 2021”. O levantamento destaca como os ataques cibernéticos evoluíram em 2020, à medida que os responsáveis pelas ameaças buscavam lucrar com os desafios socioeconômicos, comerciais e políticos causados ??pela pandemia da Covid-19. Os invasores concentraram seus ataques em organizações vitais para os esforços globais de resposta ao vírus, como hospitais, fabricantes de produtos médicos e farmacêuticos e empresas de energia que alimentam a cadeia de suprimentos para o combate à pandemia.

Segundo o relatório, os ataques cibernéticos a organizações de saúde, manufatura e energia dobraram em relação ao ano anterior, com os agentes de ameaças mirando organizações que não podiam correr riscos de interrupções nos processos das cadeias de suprimentos médicas ou essenciais. “Basicamente, a pandemia reformulou o que agora é considerado uma infraestrutura crítica e os invasores perceberam isso. Muitas organizações tiveram que ir, pela primeira vez, para a linha de frente em esforços de ajuda, seja para apoiar a pesquisa sobre a Covid-19, dar suporte às cadeias de abastecimento de alimentos e vacinas ou produzir equipamentos de proteção individual”, afirma Nick Rossmann, líder de inteligência de ameaças globais da IBM Security X-Force. “A vitimologia dos atacantes ia mudando conforme os acontecimentos relacionados à pandemia se desenrolavam, indicando mais uma vez a adaptabilidade, engenhosidade e persistência dos adversários do ciberespaço.”

O diagnóstico revela também que a pandemia levou à falsificação de marcas líderes como Google, Dropbox, Microsoft, Amazon e PayPal, e que os invasores estão acelerando a migração para Linux, que pode ser executado mais facilmente em várias plataformas, incluindo ambientes de nuvem.

***

O QUE MAIS ESTÁ ACONTECENDO NO ECOSSISTEMA

Antiga Home Hero quer movimentar R$ 300 milhões em 2021

A Home Hero, marketplace para reformas que atua desde a criação do projeto de arquitetura até a gestão da obra, anunciou um reposicionamento de marca e passa a se chamar Vobi. A plataforma SaaS tem como objetivo empoderar pequenos profissionais do setor, como arquitetos e designers, sanando problemas que afetam produtividade e faturamento, enquanto os prepara para o “novo normal”. Em 2021, a startup pretende atingir R$ 300 milhões em projetos geridos através da plataforma. “Percebemos que os mais de 2 mil parceiros da Home Hero estavam sobrecarregados em tarefas manuais e repetitivas, utilizando papel e, no máximo, o excel como principal ferramenta de trabalho. Eles não tinham tempo para focar em seu core business e crescer o negócio. Foi aí que enxergamos a oportunidade de ajudar esses pequenos empreendedores e também ampliar o nosso impacto no setor, aproveitando o nosso know-how e estrutura tecnológica”, explica Ythalo Silva, CEO da Vobi. Lançada oficialmente no fim de janeiro, a Vobi já possui cerca de 1 mil usuários e, desde outubro, quando entrou em fase beta, vem crescendo 50% por mês. Com a plataforma, o profissional consegue gerenciar e centralizar todas as etapas de um projeto de forma online e intuitiva. É possível, por exemplo, criar orçamentos de forma automatizada, acessando um catálogo com mais de 50 mil produtos, gerenciar pagamentos e dar acesso aos clientes finais para que eles possam acompanhar o andamento da obra.

Bots ajudam corretores na venda de imóveis

No setor imobiliário, chatbots e assistentes virtuais são ferramentas cada vez mais utilizadas para dar suporte aos corretores na captura de clientes em potencial, tornando a comunicação mais eficiente e aumentando a perspectiva de vendas. A Botmaker, empresa de tecnologia voltada para automatizar vendas e atendimento a clientes, e a Lopes promoveram a automatização do portal de atendimento da corretora de imóveis, criando a funcionalidade de contato por chat e whatsapp. Ao acessar o site da Lopes, o cliente preenche uma ficha com dados de contato e tem quatro opções de retorno: telefone, e-mail, Whatsapp e chat – as duas últimas integradas pela Botmaker. Automaticamente, o bot recebe e identifica os dados e encaminha o lead a um corretor online no sistema, seguindo uma fila. Por meio de duas APIs – que reconhecem o login do corretor e o tipo de produto – o profissional é direcionado ao cliente. “Com a solução, aprimoramos as interações dos clientes com nossos corretores, otimizando o tempo de atendimento e aumentando a qualidade”, destaca Renan Godoi, gerente de produto da Lopes. De acordo com a empresa, houve um crescimento relevante na geração de leads desde a implementação do novo portal.

Netshoes aposta em experiência em vídeo para campanhas

A Netshoes, uma das principais empresas de e-commerce esportivo do Brasil, está investindo na nova solução de streaming Video Ads da RTB House, que utiliza algoritmos de deep learning, o mais avançado ramo da inteligência artificial, para otimizar os resultados de campanhas de awareness programáticas em vídeo. O projeto inicial superou a meta de alcance em 21% e gerou mais do que duas vezes o engajamento previsto, ultrapassando a meta de CTR proposta em 120%. Também houve incremento de 10% em viewability e 6% em video complete rate. “Os anúncios em vídeo fizeram a diferença na nossa estratégia de awareness, tornando nossa campanha mais atrativa. Ao mesmo tempo, a tecnologia com base em deep learning e o apoio consultivo da RTB House foram fundamentais para que pudéssemos incrementar nossas métricas e melhorar a experiência do usuário que ainda não estava fidelizado por nós. Isso tudo em um mês de alta competitividade para o mercado”, afirma Luciana Tanaka, gerente de marketing de performance na Netshoes.

Danone cria portal que une tecnologia e inteligência virtual

De olho na nova configuração de consumo, a Danone, multinacional de produtos lácteos, lançou um portal de gestão para varejistas baseado em inteligência de dados, com informações, pesquisas, tendências de mercado e ferramentas para auxiliá-los em seus negócios. Batizada de GC Danone, a plataforma – gratuita – alia tecnologia à inteligência de mercado por meio de um organizador de gôndola virtual, dentro do novo conceito de exposição criado pela companhia e nomeado PDV do Futuro. O formato oferece possibilidades de organização dos produtos por meio de diferentes planogramas, que possibilitam uma melhor comparação entre marcas, preços e propostas de produtos similares, agrupando-os por seus benefícios e facilitando a experiência do shopper no ponto de venda. Tudo é feito com base em informações, dados e análises suportados por sistemas de gestão disponíveis dentro do portal. O GC Danone também disponibiliza ferramentas para os lojistas realizarem as revisões de sortimento, bem como materiais para conhecimento dos diferentes segmentos da categoria. Os potenciais usuários da plataforma são varejos com operação estruturada em minimercados, supermercados regionais ou de bairro.

99 lança categoria exclusiva para mulheres

Na segunda-feira (8), o aplicativo de transporte 99 lançou nacionalmente uma categoria exclusiva para as mulheres. Batizada de 99Mulher, a ferramenta permite que as motoristas possam escolher transportar apenas passageiras. A funcionalidade é ativada por um botão no aplicativo, e pode ser desativada a qualquer momento. Em testes de eficácia realizados em fevereiro, o 99Mulher não registrou nenhum caso relacionado à segurança. A iniciativa também ajudou a reduzir em 5% as ocorrências de assédio, por milhão de corridas, entre julho e dezembro de 2020. A companhia checa as informações através de documentação e de verificação facial. Já as passageiras são avisadas que foi enviada uma motorista exclusiva para mulheres.

Streaming Paramount+ chega ao Brasil

A ViacomCBS Networks Americas acaba de lançar seu novo serviço de streaming: o Paramount+, que vai exibir as produções da rede de televisão Showtime. O catálogo conta com estreias originais, como as séries “The Good Lord Bird”, “The Comey Rule” e “Escape at Dannemora”, dirigida por Ben Stiller. Com mais de 5 mil horas de conteúdo, a plataforma também possui um extenso acervo de conteúdos clássicos, como “NCIS”, “Todo Mundo Odeia o Chris” e “The Good Wife”, além de produções originais e brasileiras da MTV e do Comedy Central, incluindo “De Férias com o Ex Brasil” e a nona temporada de “A Culpa é do Cabral”, e dos programas da Nickelodeon, como “Top Wing” e “Tyler Perry’s Young Dylan”. O novo Paramount+ estará disponível no site e nos aplicativos para iOS e Android. O valor da assinatura mensal do serviço é R$ 19,90.

Stefanini abre Centro de Operações de Segurança na Romênia

A Stefanini, multinacional brasileira que investe em tecnologia e inovação para atender às principais verticais e auxiliar os clientes no processo de transformação digital, amplia sua oferta de cybersecurity com a inauguração de seu Centro de Operações de Segurança (SOC) na Romênia. Com a iniciativa, a empresa conseguirá cobrir as necessidades dos clientes da Europa, África e do Oriente Médio. O novo SOC será operado a partir de Bucareste e já emprega 1.500 especialistas em segurança cibernética, com a perspectiva de triplicar sua equipe até o final do ano, com um plano de crescimento de 120% ano a ano, enquanto o mercado deve expandir 12% em 2021. “No Grupo Stefanini, planejamos um forte crescimento orgânico, que dobrará a partir de uma estratégia bem definida de aquisições e joint-ventures na Europa e no mundo”, diz Farlei Kothe, CEO da Stefanini EMEA.. “Nossa meta é adicionar pelo menos dois novos empreendimentos ao nosso portfólio a cada ano. Em breve, anunciaremos uma nova aquisição na Romênia”, adianta.

***

CRESCIMENTO

Startup brasileira de biotecnologia cresce 437% em 2020

A Decoy Smart Control, desenvolvedora de soluções biológicas para controle de pragas, registrou um aumento de 437% no faturamento de 2020 sobre 2019. Desde sua fundação em 2015, a startup já recebeu R$ 1,8 milhão em investimentos privados e, no ano passado, recebeu R$ 810 mil em recursos públicos oriundos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Com projetos consolidados no setor de agronegócios por meio de soluções para combate do carrapato-do-boi, a Decoy também investe nas tecnologias para os mercados de avicultura e apicultura, além de oferecer soluções para combate da cigarrinha e do carrapato em pets.

Kangu amplia em 280% os pontos de entrega

Durante a pandemia, o e-commerce brasileiro cresceu 73,88%, segundo a Câmara Brasileira da Economia Digital, beneficiando não apenas quem vende, mas também toda a rede ligada a entregas. Neste contexto, a Kangu, plataforma que agiliza e barateia a entrega de produtos oferecendo uma malha de transportadoras e os chamados Pontos Kangu (pequenos comércios que se tornam locais de recebimento), passou de 1.700 vendedores de e-commerces no início de 2020 para 40 mil. Com isso, houve um aumento de 280% dos Pontos Kangu, que passaram de 1.400 no ano início do ano passado para 4 mil em todo o país. “Partindo da premissa de oferecer envios mais baratos, sustentáveis e com mais conveniência, todo o crescimento da nossa malha de pontos causa um efeito extremamente positivo e traz mais acesso e autonomia ao vendedor. Vamos seguir aumentando nossa abrangência tanto nacional quanto internacionalmente”, afirma Marcelo Guarnieri, CEO da Kangu.

Stark Bank registra crescimento de 600% no uso do PIX

Após ser a primeira fintech do país a ofertar o PIX para o mercado corporativo através de API, a Stark Bank, fintech B2B especializada em open banking, registrou um aumento de 600% no uso deste método de pagamento instantâneo por clientes como Loft, Rappi, Buser, Colgate e Ingresse. Esse crescimento já faz com que a modalidade represente 25% das transações totais realizadas pela fintech.

Vendas multicanal da Imaginarium chegam a um terço do total

A adoção de projetos e ações voltados à omnicanalidade, resultou no crescimento das vendas multicanais das marcas do Grupo Uni.co, que inclui as lojas Imaginarium, Puket, Mind e Love Brands. Em 2020, a participação das vendas multicanais da Imaginarium foi de, em média, 32,25% – um terço do total –, o que indica um crescimento superior a 18% em relação ao ano anterior, quando a média foi de 14%. A diretora digital do Grupo Uni.co, Simone Sancho, afirma que os números resultam, principalmente, dos investimentos em tecnologia e do engajamento dos franqueados no processo. Segundo ela, o maior desafio foi demonstrar aos franqueados que o modelo omnicanal seria vantajoso para todos os envolvidos.

***

CAPTAÇÃO

Arca Mobility recebe aporte de R$ 18 milhões

A Arca Mobility as a Service, empresa de tecnologia especializada no desenvolvimento de soluções digitais com foco na mobilidade do usuário, obteve R$ 18,2 milhões de recursos financeiros vindos de diferentes investidores. O aporte contribuiu para que, no início de 2021, a empresa trouxesse ao mercado a plataforma Embarca, uma solução que conecta clientes, operadores e motoristas com total abrangência para operar em todos os mercados rentáveis de forma 100% legalizada. Neste momento, a empresa se prepara também para uma nova rodada de investimentos que deve ser concluída ainda no final do primeiro semestre de 2021. Para Felipe Gulin, fundador e CEO da Arca, esse interesse de investidores prova o potencial da empresa. “Estamos crescendo e oferecendo novidades, priorizando a experiência do usuário e unindo décadas e décadas de tradição à inovação tecnológica. Isso chama a atenção, e está mais que evidente o potencial gigantesco que a Arca possui no mercado hoje”, complementou o executivo.

Olist investe em startup de e-commerce cross-border

O Olist, startup que tem a missão de empoderar o comércio através de um ecossistema de soluções de vendas que aliam tecnologia e inteligência de mercado para o e-commerce, anunciou investimentos na nocnoc, startup que viabiliza a comercialização de produtos oriundos de vendedores estrangeiros em marketplaces na América Latina. Os recursos serão destinados ao crescimento da empresa, com foco na atração de novos talentos para os times de produto e tecnologia. O Olist também proporcionará suporte estratégico e operacional, visando o sucesso da startup e a escalada de suas operações. Para a nocnoc, o aporte será essencial para alavancar a rede mundialmente, mas com foco especial no Brasil. “Sobretudo no Brasil, vamos aplicar em sortimento de artigos, melhorias para localização e logística e, assim, entender o comportamento do consumidor brasileiro”, explica Ilan Bajarlia, CEO e cofundador na nocnoc.

Sled recebe aporte de R$ 7 milhões da Astella Investimentos

A Sled, plataforma que simplifica as transações financeiras no varejo físico, acaba de receber um novo aporte da Astella Investimentos no valor de R$ 7 milhões. Em agosto de 2019, a startup já havia recebido R$ 2,5 milhões do mesmo fundo. Com os recursos, a empresa quer tornar os processos financeiros mais integrados por meio da conexão com sistema de frente de caixa do varejo físico, e ofertar mais do que um único produto ao mercado, além de investir na atração de novos talentos.

Ex-sócios da XP investem R$ 4,8 milhões em fintech

A Ulend, fintech especializada em empréstimos Peer to Peer Lending (P2P), acaba de receber um aporte de R$ 4,8 milhões de três ex-sócios da XP Investimentos. O dinheiro será utilizado para a criação de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios, no qual diversos investidores reúnem seus recursos em um investimento comum, com objetivo de atender a demanda de empréstimos e criar novos produtos para os clientes da plataforma. Em 2020, a fintech encerrou o ano com uma carteira de R$ 39 milhões, o que representa crescimento de 354% em relação ao ano anterior. Em termos de novos investidores, o incremento foi de 61% em relação a 2019. Embora seja um mercado relativamente novo, o peer to peer cresceu significativamente no ano da pandemia. Para 2021, a expectativa é que a Ulend cresça 287% em relação a 2020, com uma carteira de R$ 112 milhões.

Agrisolus é a mais nova agtech investida pela KPTL

Fundada no interior do Paraná, em 2016, a Agrisolus nasceu como solução para o mercado de grãos e encontrou espaço na avicultura para escalar sua operação. Os frutos dessa pivotada alçaram a empresa a uma realidade concreta de tecnologia e inovação, levando inteligência artificial às granjas e frigoríficos. Entre seus principais clientes estão a GT Foods, especializada em avicultura de corte, e a Mantiqueira, indústria responsável pela produção de ovos. Acreditando no potencial da Agricolus, a gestora de venture capital KPTL acaba de anunciar investimento na empresa, com recursos de seu Fundo Agro, que segue em captação e já conta com investidores como a Tridon Participações, family office do Grupo Jacto. Com isso, a KPTL chega assim a 10 agtechs em seu portfólio, que totaliza 53 empresas. “O sistema de sensoriamento nas instalações de aves de corte da Agrisolus é o que nossa empresa buscava, viabilizando uma mudança na forma de gestão do comportamento das aves. Pelo mapeamento de todas as ocorrências de ambiente e de manejo podemos corrigir processos e procedimentos para uma melhor performance técnica e de custo”, diz Cesar Assmann, diretor de operações da GT Foods.

***

IMPACTO SOCIAL

Accenture e Salesforce ajudam empresas adotar a sustentabilidade

A Accenture, empresa global de serviços profissionais em soluções para digital, nuvem e segurança, e a Salesforce, especializada em CRM e capacitação digital, expandiram a parceria global para auxiliar as empresas a embutir os conceitos de sustentabilidade em seus negócios, atender às crescentes expectativas de seus clientes e stakeholders e contribuir com o avanço dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS). Com o Sustainability Cloud – produto de contabilidade de carbono para empresas que impulsionam ações climáticas – e o Sales Customer 360 – plataforma de gestão e relacionamento com o cliente -, ambos da Salesforce, as empresas vão trazer a sustentabilidade para a linha de frente e oferecer, em tempo real para os executivos C-Suite, a visibilidade dos dados ESG (ambiental, social e governança, na sigla em inglês). Com isso, os clientes serão capazes de rastrear, medir e agir em uma série de iniciativas de sustentabilidade, incluindo relatórios sobre as emissões de carbono, criar experiências positivas para o consumidor, atender aos requisitos regulamentares e desenvolver novos modelos de negócios. Além disso, terão acesso a uma ferramenta confiável para uma visão 360 graus do impacto de suas empresas no meio ambiente, ajudando-as a compartilhar dados sobre clima de forma transparente com seus investidores.

Leroy Merlin se une à Ironhack em programa para colaboradores

A Leroy Merlin, uma das maiores redes de varejo do Brasil focada em melhorias para o lar, assinou uma parceria com a Ironhack São Paulo, escola global especializada no ensino de tecnologia e programação, para oferecer bolsas de estudos aos colaboradores e capacitá-los para reforçar a área de tecnologia da empresa. Denominado Hack Leroy Merlin, o programa vai oferecer bolsas de estudo de 97,5% a 15 colaboradores que tiverem interesse em participar das aulas. A ação será destinada à base da empresa, uma vez que a intenção do programa é capacitar o time para os desafios apresentados pela tecnologia.

Ambipar investe em carro elétrico para reduzir emissões de CO2

O Grupo Ambipar, formado pela Ambipar Environment e a Ambipar Response, entregou para sua equipe locada na fábrica da Votorantim Cimentos, em Salto do Pirapora, no interior de São Paulo, um carro elétrico para ser utilizado nas suas operações dentro da empresa. Agora, os colaboradores passarão a utilizar o veículo mais sustentável, com o objetivo de diminuir as emissões de gases do efeito estufa na atmosfera. A iniciativa é um projeto piloto da Ambipar e faz parte do programa Carbono Zero, que prevê uma série de ações que contribuem para uma economia de baixo carbono.

Plataforma de crowdfunding investe em bikes para funcionários

A fim de proporcionar saúde física e mental, bem-estar e redução de riscos de Covid em transportes públicos, a SMU Investimentos, em parceria com a startup de mobilidade urbana E-Moving, está oferecendo bicicletas elétricas a todos os seus funcionários. Para Rodrigo Carneiro, CEO da SMU, oferecer esse benefício para toda a equipe de trabalho é andar em direção ao futuro, onde os principais ativos das empresas são os próprios funcionários. Para além da parceria institucional, a SMU foi a plataforma de crowdfunding escolhida pela E-moving para sua primeira captação, cuja meta é alcançar R$ 1,6 milhão.

***

TECNOLOGIA DO BEM

Jovens desenvolvem protótipo de app para ajudar epiléticos

Com a missão de transformar jovens em líderes e potencializar seus resultados, a rede de Empresas Juniores Núcleo de São Paulo (NSP) criou um projeto com universitários para o desenvolvimento de projetos. Com apoio da Poli Júnior, empresa júnior federada ao NSP, universitários empreendedores de São Paulo elaboraram o Helplepsia, um protótipo de aplicativo com informações para instruir pessoas a ajudar o epilético em momentos de crise. A plataforma também registra informações importantes para o atendimento do médico e auxilia no controle de medicamentos. Em 2020, o núcleo investiu mais de R$ 4 milhões em educação empreendedora, recursos que resultaram em ações como o Helplepsia.

NVIDIA Enterprise e Dasa desenvolvem algoritmo para COVID-19

Diante do avanço da pandemia no Brasil e no mundo, a NVIDIA Enterprise está liderando um experimento para desenvolver algoritmos de inteligência artificial capazes de auxiliar no combate aos casos de Covid-19 com um formato único de aprendizado unificado (federated learning). A estratégia foi criar uma rede com mais de 20 hospitais, laboratórios de pesquisas e universidades ao redor do mundo. No Brasil, participou a Dasa, especializada em diagnósticos clínicos. “Usamos radiografias de tórax e dados clínicos para construir um algoritmo que prevê se o paciente internado vai precisar ou não de intubação, por exemplo. No cenário de pandemia, isso otimiza a correta gestão de leitos e é importante para os hospitais”, explica Felipe Kitamura, head de inteligência artificial da Dasa. Graças à agilidade no processamento dos dados, foi possível desenvolver um algoritmo em apenas duas semanas, alcançando 94% de assertividade. Além da Dasa no Brasil, participaram também da iniciativa o Children’s National Hospital em Washington, D.C.; a Universidade da Califórnia, São Francisco; VA San Diego; Universidade de Toronto; Memorial Sloan Kettering Cancer Center em Nova York; Hospital Central das Forças de Defesa em Tóquio; Faculdade de Medicina da Universidade Chulalongkorn na Tailândia, entre outros.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
MSN Meio & Negócio Nas Notícias Nas Notícias Notícias do Mundo