Notícia

Jornal do Estado (PR)

Futuro ameaçado

Publicado em 11 dezembro 2006

Os números estão aí para provar que os jovens são o alvo preferencial da onda de violência — e, pior; estão nas duas pontas dela. São muitos jovens que morrem assassinados em assaltos e brigas. Também são muitos jovens, que, do outro lado, muitas vezes por falta de oportunidades e educação, entram para o exército do crime. A Região Metropolitana de Curitiba viveu uma tragédia que serve muito bem de exemplo para isso. No dia 1º de dezembro, um rapaz de 19 anos atirou e matou Tayla Michele Agner de Faria de apenas 15 anos, durante assalto a uma panificadora em Itaperuçu.
'O matador; preso dias depois, alegou ter sido um dispam acidental durante o assalto.
O estudo "Homicídios de Crianças e Jovens no Brasil", divulgado pelo Centro de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo — um dos dez Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) da FAPESP também conhecido como Núcleo de Estudos da Violência (NEV) — é esclarecedor. Entre os vários dados alarmantes do estudo, esta a revelação que o número de homicídios entre crianças e adolescentes de O a 19 anos foi'16% do total de assassinato em todo o País em 22 anos. Se nada for feito para eliminar 'ou reduzir estes números, o futuro do Brasil está definitivamente condenado pela violência e pela dor.