Notícia

Secretaria da Cultura (SP)

Futebol, Memória e Patrimônio

Publicado em 31 outubro 2012

Foram dois anos de entrevistas com 50 ex-jogadores que vestiram a camisa da Seleção Brasileira em Copas do Mundo, com cerca de 120 horas de gravação e muitas histórias inéditas de ídolos do futebol brasileiro. No próximo dia 31/10, a partir das 9h, o projeto "Futebol, Memória e Patrimônio", do Museu do Futebol, faz o seu primeiro grande balanço de atividades. Trata-se de uma parceria entre o Museu, instituição da Secretaria da Cultura de Estado de São Paulo, e o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV), cujo objetivo é dar aos jogadores que participaram de Copas do Mundo, entre 1954 e 1982, a chance de comentarem suas experiências, não só nos mundiais, mas em suas próprias carreiras. As gravações farão parte do acervo do Centro de Referência do Futebol Brasileiro (CRF), a ser inaugurado em 2013 no Museu do Futebol.

Além da apresentação dos resultados das entrevistas, que também tiveram apoio da FAPESP, o evento reunirá palestrantes e especialistas responsáveis pela criação de outras séries audiovisuais sobre a memória do futebol e esporte brasileiro, como Kátia Rúbio, professora da Escola de Educação Física e Esporte da USP, onde coordena o projeto "Memórias Olímpicas por Atletas Brasileiros"; e Jorge Vasconcellos, jornalista e entrevistador da serie "Brasil: um século de futebol (1894-1994)", realizada para a rede BBC de rádio. Outro destaque será a apresentação de um vídeo com um compilado dos melhores momentos das entrevistas com jogadores que participaram da Seleção Tricampeã de 1970. Há trechos com depoimentos de nomes como Gerson, Carlos Alberto, Leão, Félix, Piazza, entre muitos outros.

A abertura do ciclo de palestras será realizada por Clara Azevedo, diretora de conteúdo do Museu do Futebol; e Oliver Stuenkel, coordenador do CPDOC-SP da Fundação Getulio Vargas, que apresentarão o projeto bem como seus objetivos, fases e metodologia. Já Bernardo Buarque de Hollanda, professor do CPDOC-SP/FGV e pesquisador responsável pelo "Futebol, Memória e Patrimônio", falará sobre os detalhes da formação do acervo produzido com as entrevistas, além da experiência de participar da equipe realizadora do projeto.

Nestes dois anos, o projeto "Futebol, Memória e Patrimônio" conseguiu entrevistar ex-jogadores reconhecidamente reclusos, como Índio (Aluísio Francisco da Luz), que jogou em 1954 e foi ídolo do Fluminense. Outro nome arredio que deu seu depoimento é Joel Camargo, que esteve na Copa de 1970, quando dividiu o quarto com Pelé.Há ainda conversas com jogadores ilustres da geração de campeões de 1958 e 1962, como Pepe, Coutinho (outro que costuma evitar entrevistas), Zito e Amarildo, e também uma série de depoimentos de nomes que estiveram na Copa de 1974, quando o Brasil ficou em quarto lugar. Entre outros, Leão, Marinho Chagas e César Maluco relembram, cada um à sua maneira, as consequências da derrota para a Holanda, que deixou a Seleção fora da final - na decisão de terceiro e quarto lugar, o time treinado por Zagallo ainda perderia da Polônia.

O projeto também conseguiu registrar uma longa conversa com Félix, goleiro campeão mundial em 1970, um ano antes de sua morte, em setembro de 2012. Na época, entre muitos outros assuntos, ele relembrou a briga entre o zagueiro Fontana, outro falecido, e Pelé, na concentração da Seleção, durante o Mundial.

Futebol, Memória e Patrimônio

O projeto tem por objetivo a constituição de um acervo de depoimentos registrados em áudio e vídeo, com jogadores de futebol que participaram da Seleção Brasileira, entre os anos de 1954 e 1982. As entrevistas com os jogadores duram, em média, 2 horas, onde é relatada a história de vida, trajetória profissional, como ingressou na carreira de boleiro e na seleção brasileira, como era o preparo técnico, como foi a convivência com os colegas e equipes nas Copas do Mundo, entre outros. Entre os atletas entrevistados estão: Djalma Santos, Coutinho, Ademir da Guia, Leão, Leivinha e Manga. Há ainda uma entrevista com João Havelange, dirigente à frente da CBD (atual CBF) e da FIFA durante o período.

Tendo em vista a realização da próxima Copa do Mundo no Brasil em 2014, a finalidade é fornecer subsídios documentais para que se possa articular, em uma perspectiva crítica e diacrônica, a memória esportiva, coletiva e a história política do país, durante os últimos oitenta anos. Os depoimentos são registrados, tratados e analisados por pesquisadores do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC), da Fundação Getulio Vargas, em parceria com técnicos e investigadores do Museu do Futebol, instituição sediada no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), a fim de constituir um acervo comum a ambas as instituições.

A formação destes arquivos permitirá que se registre e analise o relato de figuras centrais do futebol profissional brasileiro, em particular atletas que se tornaram figuras emblemáticas da identidade nacional. Além de ficar acessível a um público amplo, na Biblioteca e Midiateca do Centro de Referências do Futebol Brasileiro (CRFB/MF), o acervo estará disponível sob a forma virtual na página do CPDOC e servirá a base para dois produtos decorrentes da pesquisa: um livro e um DVD.

O material ficará aberto ainda a futuros pesquisadores e propiciará novas interpretações analíticas sobre o papel dos esportes na construção coletiva da memória nacional.

"Futebol, Memória e Patrimônio: acervos audiovisuais de atletas brasileiros"

Endereço: Museu do Futebol - Auditório Armando Nogueira (capacidade 180 lugares)

Local: Praça Charles Miller, s/n

Quando: 31 de outubro de 2012

Horário: A partir das 9h00

Horário de Funcionamento do Museu: 9h às 18h

Ingressos: R$ 6 (inteira) /R$ 3 (meia-entrada)

Tel.: (11) 3664-3848

www.museudofutebol.org.br

*Todas as quintas a entrada é gratuita

Tel.: (11) 3664-3848

www.museudofutebol.org.br Fonte: Assessoria de imprensa do Museu do Futebol

Data: 31/10/2012