Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Fundação inicia pesquisa com 43 mil empresas de São Paulo

Publicado em 21 agosto 2002

Por Alessandra Nogueira - Da Redação - Araçatuba
A Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) inicia esta semana a Paep (Pesquisa da Atividade Econômica Paulista), levantamento de dados que tem como objetivo atualizar informações sobre a estrutura econômica do Estado de São Paulo e ainda detectar as transformações da economia paulista nos últimos cinco anos. Em todo o Estado, serão pesquisadas 43 mil empresas, que representam 85% da atividade econômica do Estado, segundo o diretor de produção de dados da Fundação Seade, Luiz Henrique Proença. Ele estará em Bauru hoje para lançar e dar detalhes da pesquisa, que terá como base as informações do ano passado. De acordo com Proença, todas as empresas dos setores de indústria e comércio com mais de 30 empregados vão participar da pesquisa. No setor de serviços, serão pesquisadas empresas com mais de 100 funcionários. As empresas que não se encaixam nessas condições serão pesquisadas por amostragem. "Por meio dessa amostragem, conseguiremos resultados referentes a 1 milhão de empresas que atuam no Estado", afirmou Proença. Na região de Araçatuba e Bauru, 1,9 mil empresas serão pesquisadas. Para os governos federal, estadual e municipal, a pesquisa poderá ajudar a desenhar políticas de promoção ao desenvolvimento, segundo Proença. Já para os empresários, a Paep representa a oportunidade de conhecer a sua competitividade em relação às demais empresas que atuam num mesmo setor. As empresas que serão pesquisadas atuam nos setores da indústria, comércio, construção civil, informática, bancos e serviços, nos quais estarão incluídos vários segmentos. A partir da próxima semana, os 1.092 pesquisadores vão agendar visitas às empresas para aplicação de um questionário, com perguntas referentes a situação econômico-financeira, como receita bruta, despesas, gastos com impostos e investimentos e outras questões relacionadas à atuação no mercado, como produtos e inovação tecnológica, e aos recursos humanos das empresas. Serão levantadas também informações sobre o porte das empresas, origem do capital, produtos, emprego, uso das novas tecnologias de informação e os requisitos de qualificação de recursos humanos entre empresas de diferentes segmentos de atividade. "A pesquisa vai nos permitir conhecer o número de empresas existentes no Estado, empregos gerados, faturamento e ainda reunir dados sobre a qualificação de mão-de-obra", afirmou Proença. A coleta de dados deverá terminar até o fim deste ano, mas os resultados só serão divulgados em agosto do ano que vem, uma vez que existe a necessidade da tabulação dos dados. Essa é a segunda Paep realizada pela fundação - a primeira foi em 1997, com dados de 1996. Para viabilizar a pesquisa, a Fundação Seade instalou 21 escritórios no Estado, que serão utilizados por 86 técnicos e 72 funcionários administrativos financeiros, além dos 1.092 pesquisadores de campo. Em Araçatuba não foi instalado escritório próprio e a cidade estará subordinada ao de Bauru. A pesquisa é apoiada por entidades como a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Facesp (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), Fundação Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza e Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo, dentre outras. "Esperamos contar com a colaboração dos empresários, uma vez que dependemos deles para o sucesso da pesquisa", afirmou, destacando que todas as informações da pesquisa são preservadas pelo sigilo estatístico. A Paep é financiada pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério da Educação e da Secretaria de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo.